Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Castigo Máximo

De forma colocada, de paradinha, ou até mesmo à Panenka ou Cruijff, marcaremos aqui a actualidade leonina. Analiticamente ou com recurso ao humor, dentro ou fora da caixa, seremos SPORTING sempre.

De forma colocada, de paradinha, ou até mesmo à Panenka ou Cruijff, marcaremos aqui a actualidade leonina. Analiticamente ou com recurso ao humor, dentro ou fora da caixa, seremos SPORTING sempre.

Castigo Máximo

07
Fev20

Varandas ao Record


Pedro Azevedo

O mínimo que se pode dizer da entrevista de Frederico Varandas que hoje o Record deu à estampa é que o presidente perdeu uma boa oportunidade de dizer algo que mostrasse haver uma estratégia sólida por trás. Aliás, as tergiversações foram mais que muitas. Desde informar que precisou de 115 milhões de euros para sobreviver - ainda que isso lhe enfraquecesse definitivamente a equipa - , esquecendo-se que investiu 47 milhões de euros em jogadores que até ao momento não demonstraram a qualidade daqueles que foram vendidos. Também se congratula e diz que a forma como Bruno Fernandes saiu é a correcta ( com o que concordo), com a admiração de todos, mas acaba por concluir que a época correu mal porque o nosso capitão não foi vendido, ligando assim a sua permanência ao descalabro desportivo a que vamos assistindo. Pelo meio, Frederico Varandas diz que se gastaram 25 milhões de euros nos dois mercados (Inverno e Verão de 2019), quando na verdade, entre gastos com comissões e investimento, se consumiram cerca de 40 milhões de euros, algo facilmente comprovável pelos documentos enviados à CMVM e R&C. Alega que Dala, Geraldes e Ivanildo não jogaram nos clubes a que estiveram emprestados - isso provavelmente fala mais sobre o critério de emprestar jogadores a clubes turcos e gregos do que outra coisa - , mas acabou por trazer emprestados Jesé, Bolasie e Fernando, jogadores que poucos minutos tinham nos clubes detentores do seu passe. Preocupantemente, diz que Olsen é um bom jogador e não confirma nem desmente o interesse na sua contratação, o que é inquietante na medida em que Max recentemente adquiriu a titularidade e pode facilmente valorizar-se nos próximos anos, havendo ainda Renan - deu-nos duas taças - como segunda opção sólida e posições bem mais carenciadas de reforço do que a de guarda-redes. Sobre Keizer, assume que o treinador holandês sofreu na pele os erros de um mau planeamento. Logicamente, o entrevistador pergunta-lhe de seguida porque é que o despediu. Eis então que, em resposta, o presidente admite como provável que a decisão de despedimento tenha sido injusta. Extraordinário quando, mal ou bem, existe um treinador (Silas) em funções... De resto, perdemos os clássicos todos - "mesmo quando merecíamos ter ganho" - porque é futebol, foi relevante trazer a público uma conversa privada em que um treinador lhe referiu ser o Sporting um "clube de malucos" para os sócios saberem como nos veem de fora (nota do autor: ainda bem que ninguém diz que somos um clube de "serial killers"...) e espera fazer uma boa "digressão" pela Europa (referindo-se à presença na Liga Europa). Ilustrando que nunca conseguiríamos ir buscar um Plata de 25 anos, acaba por referir que o Sporting não tem capacidade para ir buscar um jogador feito (Bruno Fernandes e Dost custaram cerca de 10 milhões de euros cada um), esquecendo-se que gastou 47 milhões em contratações (inclui €7 milhões de Sporar) em 1 ano. Assume ainda que já contrariou várias vezes o seu princípio inicial de não entrar no balneário, inclui um miúdo de 21 anos (Matheus Nunes) que há muito deveria estar a jogar na equipa principal num leque de jogadores entre os 16 e os 18 anos e diz que não tinha jogadores da Formação como em 2013, olvidando que Leonardo Jardim deu a 1ª oportunidade a William, que estava no Cercle Brugge, e colocou Adrien no sítio certo (posição "8"), ele que curiosamente tinha estado em tempos emprestado a um clube (Maccabi Haifa) onde pouco jogara (o que pelos critérios com que Varandas avalia Dala, Geraldes e Ivanildo não auguraria nada de bom). O presidente informa ainda que vendeu Domingos Duarte porque se apercebeu que Bruno Fernandes não saíria, o que não faz sentido dado o negócio do jovem central ter ocorrido a 14 de Julho, ou seja, mais de 1 mês e meio antes do fecho de mercado. A entrevista termina com o presidente dizendo que o plano estratégico que definiu quando chegou ao Sporting implica o Sporting voltar a ser um candidato crónico à Champions. 

 

Acabada de ler a entrevista, aqui Vos passei os pontos que me chamaram mais a atenção. Agora, com a Vossa permissão, vou tomar dois Lexotan...

varandas.jpg

 

 

29 comentários

Comentar post

Pág. 1/2

Mais sobre mim

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Mensagens

Arquivo

  1. 2020
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2019
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2018
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D

Castigo Máximo

De forma colocada, de paradinha, ou até mesmo à Panenka ou Cruijff, marcaremos aqui a actualidade leonina. Analiticamente ou com recurso ao humor, dentro ou fora da caixa, seremos SPORTING sempre.

Siga-nos no Facebook

Castigo Máximo

Comentários recentes

  • Anónimo

    Caro Verde Protector,do que sei, é mesmo verdade, ...

  • Richituga

    Caro Pedro AzevedoGostei muito da carta mas não se...

  • Anónimo

    De M. CalabresiMeu caro Pedro,Acabei de ler a sua ...

  • Verde Protector

    Será verdade esse diálogo entre Rahim e Rui Morgad...

  • Anónimo

    Olá, caro Pedro. Venha de lá a iniciativa que vise...