Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Castigo Máximo

De forma colocada, de paradinha, ou até mesmo à Panenka ou Cruijff, marcaremos aqui a actualidade leonina. Analiticamente ou com recurso ao humor, dentro ou fora da caixa, seremos SPORTING sempre.

De forma colocada, de paradinha, ou até mesmo à Panenka ou Cruijff, marcaremos aqui a actualidade leonina. Analiticamente ou com recurso ao humor, dentro ou fora da caixa, seremos SPORTING sempre.

Castigo Máximo

09
Fev20

Vamos a Alvalade!


Pedro Azevedo

O problema de termos consciência política é que às vezes ficamos tão reféns das nossas convicções que facilmente podemos confundir quem conjunturalmente nos dirige com a instituição. Nesses momentos é fundamental pensarmos na origem das coisas, regressando ao passado para nos lembrarmos da razão de sermos do Sporting. No meu caso particular, o Sporting não é só um grande amor presente, foi o meu primeiro amor. O que me deu, a companhia que me fez, em Portugal ou no estrangeiro - num tempo sem internet, "gadgets" ou "devices" em que a informação não fluía como hoje - , as tardes e noites que com ele comunguei nunca lhe poderei pagar em vida. Porventura, talvez fosse bom que todos - sócios, adeptos, Direcção - reflectíssemos que o clube nada nos deve, nós é que lhe devemos muito e em todas as circunstâncias. (Mesmo quando nos desilude, ensina-nos a importância da resiliência.)  

 

Nenhum homem é uma ilha. O privilégio que nos é concedido de pertencermos a uma gesta tão gloriosa quanto a de Peyroteo, Carlos Lopes, Joaquim Agostinho, Yazalde, Moniz Pereira ou Aurélio Pereira, Salazar Carreira ou Reis Pinto, Ribeiro Ferreira ou João Rocha é algo tão único e especial que dificilmente se poderá traduzir em palavras. Se calhar, seria bom aprendermos com as crianças, despirmo-nos de filtros, preconceitos e verdades absolutas, e nem que seja por 90 minutos tomarmos a essência do que é o Sporting. Eu recordo como a minha paixão começou por se alimentar da onda média da rádio e se transformou num tsunami aquando da primeira vez que pisei o solo sagrado do antigo José Alvalade. Temos de trazer de volta essa vivência, essas emoções, razão pela qual me incomoda tanto aquele autismo de o hino não ser respeitado naquilo que tem de quase litúrgico, introspectivo, de esmagamento do homem perante algo tão maior e grandioso. Escutemos então aquilo que nos diz o coração. E comunguemos do Sporting e do sportinguismo. Já hoje, pela tarde, em Alvalade. 

sporting clube de portugal.png

8 comentários

Comentar post

Mais sobre mim

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Mensagens

Arquivo

  1. 2020
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2019
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2018
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D

Castigo Máximo

De forma colocada, de paradinha, ou até mesmo à Panenka ou Cruijff, marcaremos aqui a actualidade leonina. Analiticamente ou com recurso ao humor, dentro ou fora da caixa, seremos SPORTING sempre.

Siga-nos no Facebook

Castigo Máximo

Comentários recentes