Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Castigo Máximo

De forma colocada, de paradinha, ou até mesmo à Panenka ou Cruijff, marcaremos aqui a actualidade leonina. Analiticamente ou com recurso ao humor, dentro ou fora da caixa, seremos SPORTING sempre.

De forma colocada, de paradinha, ou até mesmo à Panenka ou Cruijff, marcaremos aqui a actualidade leonina. Analiticamente ou com recurso ao humor, dentro ou fora da caixa, seremos SPORTING sempre.

Castigo Máximo

16
Dez19

Tudo ao molho e fé em Deus - Póquer nos Açores


Pedro Azevedo

Apesar de ter visitado São Miguel para jogar com (o) Santa Clara não foi preciso rezar a todos os santinhos para o Sporting sair dos Açores com uma vitória. É que independentemente do estado da relva, frio, chuva, neve ou calor, vento e humidade relativa, trocas e baldrocas tácticas, o futebol é um jogo fácil, fácil em que habitualmente ganha quem tem os melhores jogadores. Basta não complicar, colocando os ingredientes certos em campo. Com Ristovski em detrimento de Rosier, Mathieu em vez de Ilori, Acuña no lugar de Borja e Wendel a substituir um (até agora) holograma proveniente de um clube que também é um holograma de um outro que ainda é um grande em palmarés do futebol português (ufa!!!), os leões foram buscar aquele gostinho de Savora que, já se sabe, toda a comida melhora. E, ao contrário da pedagogia da comunidade médica, sem que com o recurso às especiarias o batimento cardíaco do adepto leonino saísse dos níveis de normalidade. Aliás, pelo contrário, já não tinha uma pulsação tão baixa e via um jogo do Sporting por puro entretenimento desde a penúltima vez que visitámos o Jamor.

 

O Sporting dominou o jogo de princípio ao fim, chegando ao intervalo a dever alguns golos à sua exibição após falhanços de Luiz Phellype e Bolasie. Bruno Fernandes e o surpreendente Ristovski destacavam-se na criação de oportunidades, mas seria o argentino Vietto, já a primeira parte caminhava para o seu termo, a proporcionar ao Felipe das Consoantes inaugurar o marcador. A marcar começaríamos também o segundo tempo quando Mathieu mostrou aos médios defensivos como sair a jogar e com um passe de 50 metros rasgou a defesa açoriana e isolou Ristovski no flanco oposto. O macedónio aproveitou e assistiu LP para o segundo da noite. De seguida, Bruno executou um canto e Bolasie, de cabeça, fez o terceiro. Inspirado pelo golo, o congolês teve o momento Messi do jogo, driblando quem lhe apareceu pela frente até ser derrubado já dentro da área. Na conversão, o inevitável Bruno Fernandes fechou o activo. Estava jogada uma hora de jogo e ainda havia mais meia-hora para disputar. Tempo então para Silas (bem) dar minutos a Batman, o vigilante hoje reaparecido em Ponta Delgada City, super-herói da intensidade defensiva a quem o "Tudo ao molho..." deseja as maiores felicidades.

 

Tenor "Tudo ao molho...": Stefan Ristovski. Boas exibições igualmente de Bolasie, Bruno Fernandes, Luiz Phellype, Vietto (falta-lhe golo e consistência para acompanhar a qualidade técnica que evidencia), Acuña e Mathieu. Os restantes titulares estiveram num plano aceitável.

brunofernandesneto1.jpg

11 comentários

Comentar post

Mais sobre mim

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Mensagens

Arquivo

  1. 2020
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2019
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2018
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D

Castigo Máximo

De forma colocada, de paradinha, ou até mesmo à Panenka ou Cruijff, marcaremos aqui a actualidade leonina. Analiticamente ou com recurso ao humor, dentro ou fora da caixa, seremos SPORTING sempre.

Siga-nos no Facebook

Castigo Máximo

Comentários recentes