Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Castigo Máximo

De forma colocada, de paradinha, ou até mesmo à Panenka ou Cruijff, marcaremos aqui a actualidade leonina. Analiticamente ou com recurso ao humor, dentro ou fora da caixa, seremos SPORTING sempre.

De forma colocada, de paradinha, ou até mesmo à Panenka ou Cruijff, marcaremos aqui a actualidade leonina. Analiticamente ou com recurso ao humor, dentro ou fora da caixa, seremos SPORTING sempre.

Castigo Máximo

17
Abr23

Tudo ao molho e fé em Deus

Nem pintos, nem pontos


Pedro Azevedo

Se o Arouca tem um Evangelista que proclama a boa nova às gentes aveirenses, no Sporting há anos que se evangeliza sobre Alcochete. Quer dizer, dá sempre jeito ter Alcochete à mão, ou ao pé da boca, seja por via de colchões, relvados ou jogadores, para que sócios e adeptos possam enfiar, ano após ano, o barrete verde. No modernismo leonino, a Formação está centrada nos jogadores: não interessam os resultados das equipas afluentes à principal, o que importa é o desenvolvimento individual do jogador. Por isso, pomo-los a jogar um escalão acima, que é para queimar etapas e ver se se desenvolvem mais depressa, assim a modos como se faz com os pintos num aviário (um dia ainda iremos ler que a Academia se mudou para o Freixial). O problema é que queimar etapas só deveria servir para alunos sobredotados, para os quais o patamar de ensino já não constituísse um desafio, número que estatisticamente nunca é relevante. Para todos os outros, a aceleração de processos só irá apressar o... desemprego. Tendo como outras contra-indicações uma sobrecarga de conteúdos tácticos e físicos em detrimento do estímulo do talento natural dos adolescentes, a única arma que efectivamente um dia lhes permitiria fazer a diferença no futebol adulto. Mas dizem-lhes que o objectivo é chegarem à equipa principal, ainda que hoje apenas 1 tenha começado de início. E hão-de dizer-nos mais tarde que o insucesso da época se deveu à aposta na Formação e não às contratações cirurgícas, ainda que o Rodrigo Ribeiro, o tal que seria alternativa a Paulinho, seja correntemente suplente da equipa B, e que o Fatawu seja uma espécie de Matheus Pereira do JJ para o Rúben Amorim e só esteja reservado para os grandes jogos. Tal como o Essugo. Se explicam aos jovens que o objectivo do acelerador de partículas sito em Alcochete é chegarem ao topo, não admira que, com o passar do tempo, a acumulação de derrotas (formar a perder) e a falta de oportunidades gerem desmotivação. Talvez por isso a nossa equipa B esteja à beira de ir formar jogadores para o Campeonato de Portugal (quarta divisão nacional) e para o convívio com históricos como o Atlético, o Fabril (antiga CUF) e um Oriental que tanto me traz à memória o Yazalde (9 golos à equipa de Marvila em 73/74). Só derbies... Mais tarde surgirá a narrativa de que o Campeonato de Portugal é que é ideal para formar, ainda que melhor mesmo seriam os distritais, o regresso à Academia do Pelado e, quiçá, aos jogadores extraordinários (diferenciado é cada ser humano). Pode ser que então se acorde para a realidade... E assim chegámos ao final de Domingo, com a equipa A a 7 pontos do Braga e do acesso à pré-eliminatória da Champions e a B só com um ponto a separá-la da zona de despromoção. Claro que Nª Senhora de Fátima ainda pode aparecer numa azinheira em Alcochete, o Sporting aceder à Champions por via da Liga Europa e os três pastorinhos que comandam o futebol do Sporting virem a rir-se das atribulações desta época desportiva e assim adiarem tomar as ilações devidas, mas o futuro não parece nada risonho. 

 

Ontem, o figurino não se afastou do habitual. Houve os equívocos estratégicos do costume quando necessitamos de fazer poupanças - o ala Bellerín, de guião trocado, a atacar por dentro - , as absurdas substituições e explicações usuais - mais trocas e baldrocas de centrais e Nuno Santos a sair mais cedo porque Amorim desta vez não queria dele o que quis na semana passada de Arthur, isto é, que cruzasse com o seu pé natural -  , um banco onde em 9 só havia uma solução atacante (Rochinha), o Coates a ponta de lança e bolas nos postes e falhanços inacreditáveis em ambas as áreas que nos custaram o que seria uma merecidíssima vitória, tudo erros de palmatória que contrastam com a brilhante ideia de jogo, comunicação e mais do que óbvia capacidade de liderança do nosso treinador. E acabámos a dever o empate ao árbitro, o que é algo tão contra-natura como ver um incendiário a limpar o lixo numa floresta e só nos acontece quando já não contamos para o Totobola. Mas está tudo bem, os seres pensantes que comandam o nosso futebol dizem-nos que a próxima época já está a ser planeada há muito tempo, o que é um enorme alívio na medida em que nos transmitiram exactamente o mesmo na Primavera passada. Como adenda, questionado sobre o seu futuro, o Amorim disse que estava tudo em aberto, um tipo de planeamento jogo-a-jogo muito sui-generis e mais dependente dos humores do momento (como a venda do Matheus por parte da Direcção). Conclusão: nem Academia, nem Aviário, isto caminha é para um Manicómio... (Mas Quinta há jogo e pode ser que na Sexta troquemos a camisa de forças por mais uma voltinha na montanha russa.)

 

Tenor "Tudo ao molho...": Morita

PedroGoncalves18.jpg

21 comentários

Comentar post

Mais sobre mim

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Mensagens

Arquivo

  1. 2024
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2023
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2022
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2021
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2020
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2019
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2018
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D

Castigo Máximo

De forma colocada, de paradinha, ou até mesmo à Panenka ou Cruijff, marcaremos aqui a actualidade leonina. Analiticamente ou com recurso ao humor, dentro ou fora da caixa, seremos SPORTING sempre.

Siga-nos no Facebook

Castigo Máximo

Comentários recentes

  • Jose

    Claro para estarmos em Antuérpia tivemos de elimin...

  • Pedro Azevedo

    Sim, poupava-se nas certidões de óbito e era desne...

  • João Gil

    As escolhas do selecionador são soberanas e isso e...

  • Pedro Azevedo

    * o que não quer dizer

  • Pedro Azevedo

    E pur si muove, como diria o Galileu. Com a melhor...