Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Castigo Máximo

De forma colocada, de paradinha, ou até mesmo à Panenka ou Cruijff, marcaremos aqui a actualidade leonina. Analiticamente ou com recurso ao humor, dentro ou fora da caixa, seremos SPORTING sempre.

De forma colocada, de paradinha, ou até mesmo à Panenka ou Cruijff, marcaremos aqui a actualidade leonina. Analiticamente ou com recurso ao humor, dentro ou fora da caixa, seremos SPORTING sempre.

Castigo Máximo

05
Out22

Tudo ao molho e fé em Deus

A Lei da Atra(i)ção


Pedro Azevedo

A Lei da Atração enuncia que os pensamentos das pessoas, conscientes ou inconscientes, ditam a realidade das suas vidas. A actual equipa do Sporting poderia ser uma base científica para a demonstração dessa teoria. Senão vejamos: o Rúben Amorim quer que a bola saia desde trás, de forma a atrair os adversários e criar espaço mais à frente. No seu pensamento, esta experiência será recompensadora e a base de sucesso da sua equipa. Todavia, se um jogador dela duvida, tudo poderá ir pelo cano abaixo. É o caso da Adán. O espanhol tem a sua melhor qualidade na excelência das "manchas" que executa. Porém, jogar com os pés é o seu ponto fraco, a sua grande limitação. Se lhe é pedido algo que em tese seria bom para a equipa, mas que não é adequado às suas características, então o pior poderá acontecer. Ocasionalmente, em catarse, como ontem ocorreu no Vélodrome, de uma forma em que quem quis atrair acabou emboscado nessa mesma atração. No fundo, tal faz sentido com a  nossa história dos últimos 60 anos e poderia ser definido como a Lei da Atração... pelo abismo. Ontem, à beira dele, o Adán deu o passo em frente, como anteriormente o Costinha em Salzburgo, o Dani em Viena, Cintra quando despediu o Robson ou o Carlos Queiroz ao tirar o Paulo Torres no intervalo dos 3-6 em Alvalade. Poderia ter sido diferente? Sim, mas não seria a mesma coisa, ou, pelo menos, o mesmo Sporting, a mesmíssima sina. 

 

Depois, também há outras coisas que não ajudam. Como, por exemplo, existindo até já um precedente no clube, não haver um (ontem) capitão a tirar uma licença sem vencimento. O homem até poderia concorrer a uma Junta (Médica? Aos pés?), ou mesmo à Câmara (da Nazaré), dentro do campo é que, pese a sua boa-vontade, amor ao clube e indiscutível profissionalismo, actualmente constitui um passivo, tão passivo que o pré-reformado Alexis Sanchéz ao pé dele parecia ir de mota. Ora, na vida não devemos ser reféns das nossas escolhas. O que também se aplica ao Paulinho. Principalmente quando acertamos muito mais do que falhamos, o que indubitavelmente é o caso de Rúben Amorim. Por isso talvez fosse melhor reconhecer o erro de emprestar o Gonçalo Esteves ao Estoril e começar a dar minutos a sério ao miúdo Rodrigo Ribeiro (5 golos em 3 jogos na Youth League), apostar efectivamente na Formação. 

 

Também não gostei que tivéssemos desistido do jogo antes dele acabar. Foi o que me ocorreu quando vi o único jogador capaz de segurar a bola e atormentar o adversário ser sacrificado. Com a saída prematura de Edwards, a que se pode adicionar a substituição ao intervalo de Pote, o Sporting abdicou de ousar vencer. E não, ao contrário do que vou lendo por aí, o Buscapoulos não jogou nada (inúmeras perdas de bola), o Nazinho praticamente nem se viu e o Paulinho só se enxergou... no chão. Já o Marsá não me pareceu em nada inferior ao Elevador de St Juste, o qual passa mais tempo em manutenção do que em acção. E depois há um tal francês e de Israel que por acaso até é uruguaio e saiu a um cruzamento com os olhos tão fechados que parecia estar a rezar no Muro das Lamentações. Ora, para lamentações já bastam os últimos 60 anos... Por isso, levantem-se, uma e outra vez, até que os cordeiros (de Deus) voltem a ser Leões!!! [Caso contrário continuaremos a chegar atrasados (sim, não será só o autocarro) ao encontro com a nossa história.]

 

Tenor "Tudo ao molho...": Marcus Edwards

adan marselha.jpg

8 comentários

Comentar post

Mais sobre mim

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Mensagens

Arquivo

  1. 2022
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2021
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2020
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2019
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2018
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D

Castigo Máximo

De forma colocada, de paradinha, ou até mesmo à Panenka ou Cruijff, marcaremos aqui a actualidade leonina. Analiticamente ou com recurso ao humor, dentro ou fora da caixa, seremos SPORTING sempre.

Siga-nos no Facebook

Castigo Máximo

Comentários recentes

  • Aboím

    O nome que me faltava era Duarte e o pai dele tinh...

  • Aboím

    Sou de facto do Norte (nascido em Trás os Montes) ...

  • Pedro Azevedo

    E eu a pensar que os holandeses sonhavam com tulip...

  • Pedro Azevedo

    Caríssimo Aboím, ganhámos!!! Mas podíamos ter poup...

  • Aboím

    Num comentário anterior eu deveria ter escrito (co...