Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Castigo Máximo

De forma colocada, de paradinha, ou até mesmo à Panenka ou Cruijff, marcaremos aqui a actualidade leonina. Analiticamente ou com recurso ao humor, dentro ou fora da caixa, seremos SPORTING sempre.

De forma colocada, de paradinha, ou até mesmo à Panenka ou Cruijff, marcaremos aqui a actualidade leonina. Analiticamente ou com recurso ao humor, dentro ou fora da caixa, seremos SPORTING sempre.

Castigo Máximo

10
Mar19

Tudo ao molho e fé em Deus - VARdade?


Pedro Azevedo

O Sporting apresentou-se no Bessa com 5 bebés lançados por Keizer. Ah, não? Desculpem, últimamente ando a ler muita ficção científica. O Record, conhecem? Também não se pode levar a mal o jornal, afinal só se enganaram no "careca". Tal como nós. É que se um treinador do Sporting tivesse lançado esses jovens anteriormente no Ajax, então chamar-se-ia Peter Bosz e provavelmente os leões hoje não teriam jogado (substitutos incluidos) sem um único jogador proveniente da sua Formação

 

No xadrez boavisteiro, o Sporting apresentou-se sem uma das suas Torres (Bas Dost). Uma Torre do Tombo, dado o seu desempenho em 2019, mas que de alguma forma encerra em si os pergaminhos de anteriores equipas do Sporting Clube de Portugal, algo que não se viu naquele peão contratado no Inverno que hoje foi a jogo, incapaz de segurar uma bola na zona de ataque, o que conjugado com a desinspiração de Wendel e a falta de apoio de Gudelj fez com que Bruno Fernandes tivesse ficado isolado no miolo, pelo que as nossas jogadas se desenvolveram exclusivamente pelas alas, não havendo penetrações centrais.

 

O jogo começou praticamente com o golo do Boavista. Aos 3 minutos, o Felipe das Consoantes foi até à área leonina mostrar o seu bom jogo de cabeça e daí resultou o golo axadrezado. Levantaram-se dúvidas sobre a posição de Neris - sozinho na pequena área, porque Ristovski deslocou-se para um espaço onde já estava Coates - , mas o VAR manteve a decisão da equipa de arbitragem liderada por João Pinheiro. Durante algum tempo a equipa leonina pareceu de cabeça perdida, com Gudelj literalmente a mostrá-lo após choque com Gustavo Sauer, uma estreia nos do Bessa que deixou muito boas indicações. De seguida, Borja foi tentar compensar a sua defesa, mas acabou ultrapassado por Sauer em lance que terminou com uma defesa de Renan para canto. Um canto que se desdobrou em vários e que terminou com uma involuntária assistência de Coates que miraculosamente não apanhou um boavisteiro no caminho para a baliza. Eis então que Raphinha vai formoso pela direita, ganha a linha de fundo, centra e Edu Machado tenta interpor-se entre Acuña e a sua baliza, acabando por desviar a bola na direcção errada, com o argentino ainda a tocar ao de leve na bola antes de esta passar a linha de golo. O Sporting reequilibrava os pratos da balança, numa altura em que o nosso jogo era monocórdico e consistia em centros razoáveis de Borja para a molhada. Até que um livre marcado por Bruno Fernandes, e desviado por Raphinha, encontrou Luíz Phellype ao segundo poste, sozinho. Cabeceamento do brasileiro e gol...ahhhh...ao poste. Incrível! Phellype, a 2 ou 3 metros da baliza, não fez golo. Logo de seguida, Raphinha marcou de cabeça, mas o árbitro auxiliar, primeiro, e o VAR, depois, anularam o golo, em lance com algumas semelhanças com o golo validado ao Boavista. As notícias não eram boas, mas até ao intervalo a esperança renasceria, nomeadamente quando Gudelj viu um amarelo e ficou impedido de participar no próximo jogo. Soa a Divina Providência, não é? Tempo ainda para Coates fazer de ponta-de-lança (não há um nos Sub-23?) e cabecear a rasar o poste de Bracali, após livre marcado na direita por Acuña. 

 

O segundo tempo iniciou-se com um elaborado gesto "técnico" de Gudelj, uma "pentavela" - trivela com dedo (a mais) de sérvio - em que a bola foi aceleradamente "de vela" directamente pela linha lateral, deixando os adeptos com muitos nós na cabeça. Coates voltou a ir à frente mostrar como se faz, mas a bola teve o mesmo destino da primeira vez. Eis então que, num momento desconcertante, Ristovski tirou um centro de sonho que embalou Phellype para um sono profundo, perdendo-se outra grande oportunidade. Logo de seguida, bicicleta de Bruno e grande defesa de Bracali. Keizer mexeu, entrando Diaby e Doumbia e saindo Borja (recuou Acuña) e Wendel. O marfinense mostrou instantaneamente a sua categoria, saindo da zona de pressão com destreza assente em velocidade e poder de finta, embora jogando mais adiantado do que o costume, mas o maliano foi mais ou menos igual a si próprio, ou seja, uma nulidade. Até que, quando tudo indicava que teríamos a "reprise" do acontecido na Madeira, já em tempo de compensação João Pinheiro viu uma pseudo-agressão a Raphinha na área axadrezada. Penálti, conversão como habitual de Bruno e três pontos sacados no Bessa, uma compensação que promete vir a ser ruidosa para uma silenciosa disparidade de critério disciplinar nos jogos que envolvem o Sporting.

 

A missão do Sporting assemelha-se cada vez mais ao Algoritmo do Caminho Crítico. Neste, há um tempo para cumprimento de um conjunto de tarefas. Para este ser cumprido, é necessário que as várias tarefas intermédias não se atrasem. Ora, esta equipa leonina continua a não evoluir por laborar num conjunto de erros que atrasa a sua progressão. Geraldes vai assistindo do banco, não podendo assim contribuir para a necessária rotatividade do plantel, Miguel Luís anda desterrado nos Sub-23, situação incompreensível e que até terá custado a titularidade do promissor Matheus Nunes nos últimos dois jogos do escalão, e Doumbia continua à espera de Godot, que é como quem diz desesperando, pois o nosso Keizer está a corporizar muito bem o espírito que norteou a obra de Samuel Beckett. Eu cá gosto mais do Elia Kazan e confesso que o amarelo que Gudelj viu hoje soube-me a "um eléctrico chamado desejo". Uma boa semana para todos!

 

Tenor "Tudo ao molho...": Raphinha. Boas prestações também de Mathieu, Coates, Acuña e Bruno Fernandes.

raphinha boavista.gif

12 comentários

Comentar post

Mais sobre mim

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Mensagens

Arquivo

  1. 2020
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2019
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2018
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D

Castigo Máximo

De forma colocada, de paradinha, ou até mesmo à Panenka ou Cruijff, marcaremos aqui a actualidade leonina. Analiticamente ou com recurso ao humor, dentro ou fora da caixa, seremos SPORTING sempre.

Siga-nos no Facebook

Castigo Máximo

Comentários recentes

  • Pedro Azevedo

    Caro José, tive uns vizinhos cuja box era mais ráp...

  • José da Xã

    Pedro,há uns anos naquela meia final de boa memóri...

  • Pedro Azevedo

    Boa tarde, meu caro.Em primeiro lugar, queira desc...

  • Pedro Azevedo

    Caro Sebastião, antes de mais as minhas desculpas ...

  • Pedro Azevedo

    Caro AJSSB, em primeiro lugar, queira aceitar as m...