Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Castigo Máximo

De forma colocada, de paradinha, ou até mesmo à Panenka ou Cruijff, marcaremos aqui a actualidade leonina. Analiticamente ou com recurso ao humor, dentro ou fora da caixa, seremos SPORTING sempre.

De forma colocada, de paradinha, ou até mesmo à Panenka ou Cruijff, marcaremos aqui a actualidade leonina. Analiticamente ou com recurso ao humor, dentro ou fora da caixa, seremos SPORTING sempre.

Castigo Máximo

06
Mar21

Tudo ao molho e fé em Deus

Stent a stent até à artéria do Marquês


Pedro Azevedo

Caro Leitor, já não sei se isto é jogo a jogo ou stent a stent, se devemos primeiro desobstruir o caminho do título ou antes dar prioridade ao fluxo de circulação sanguínea nas artérias, o que sei é que o Miguel Cal deve andar a roer-se de inveja porque finalmente temos uma Experiência Sporting capaz de apelar ao coração de cada Sportinguista. Senão vejamos: o adepto está em casa a ver o jogo e a ouvir o Vidigal, coisas que cumulativamente obrigam logo um homem a activar o desfibrilador até levar um número de descargas em joules suficiente para acordar a colónia inteira de moradores do Panteão Nacional. Subitamente, recebe uma mensagem da Loja Verde on-line para não perder e encomendar desde já a a promoção pague-2-leve-3 da nova colecção de stents verde-e-brancos. Dizem-nos haver em aço inoxidável, crómio e até cobalto, às risquinhas horizontais, tipo Stromp ou alternativo. E a malta compra, claro, ou não se tratasse de uma compra por impulso... cardíaco. Um sucesso de vendas garantido. Depois, é só marcar a operação e aplicá-los. A Clínica CUF do estádio estenderá a sua experiência (e artérias).

 

Devo porém dizer que no final do dia não sei se sofreremos mais nós ou os nossos concorrentes directos. É que não deve ser nada fácil para quem está de fora levar constantemente com golos depois da hora do Sporting. Eu estou a imaginá-los, cada vez mais confiantes que desta vez é que é, vão encurtar a distância, tudo daqui para a frente será diferente, e de repente, PUMBA, golo do Sporting. E depois é vê-los a destruir ardósias e ábacos e máquinas de calcular, a rasgar as cartas da Maya ou amaldiçoar as feiticeirias do Nhaga... Não se faz, isto é elevar a crueldade humana até ao expoente máximo na escala de Rúben!

 

O jogo? Foi um bocado como as Escondidas. Começou o Santa Clara a apalpar terreno e logo veio com uns inuendos, umas aproximações. Tudo mais para o frio, embora por vezes aquecesse até ficar morno. Na resposta, deixámo-nos de mariquices, fomos por ali fora sem perguntar nada a ninguém e, quando o Pote já estava a ferver, descobrimos o esconderijo. Entretanto, o Crysan anti-caspa teve o azar de não ser também anti-queda e abandonou o terreno, pelo que até ao intervalo a promoção do Turismo dos Açores ficou entregue ao Luis Vidigal. A disposição das equipas na etapa complementar fez-me temer o pior, ou seja, adormecer. Porém, tal gradualmente foi passando a um estado de alerta à medida que o Sporting ia transformando o futebol em flippers: a bola era mandada para a frente como se impulsionada por uma mola e depois batia em inúmeros martelinhos, voltava para a frente e para trás, parecendo que o nosso objectivo era fazer jackpot no meio. Só que numa dessas idas e vindas ressaltou mal no pino do Feddal e lá perdemos uma vida. Com Santa Clara a renunciar ao voto de pobreza franciscana a que o jogo tinha estado sujeito, foi tempo de no Sporting se tocar a rebate. Importante reforço de Inverno, o nosso novo ponta de lança uruguaio entrou mais uma vez lá para a frente. E logo ganhou 3 bolas de cabeça, algo até aí impensável na área açoriana. Na primeira ainda tentou assistir Jovane, mas este não conseguiu encontrar uma quina do seu corpo que desse intensidade à bola. De seguida, atirou ao lado. Até que o Nuno Santos lançou a enésima edição de uma bola que vem da esquerda para a direita, daí é amortecida (João Mário, na circunstância) para o centro e depois dá golo. Na extremidade estava o uruguaio. Eram jogados 90+3 minutos, nada mais haveria a declarar para lá dos sorrisos de todos os Sportinguistas. 

 

Para dizer a verdade, no fim festejei abundantemente. Não é que nós não acreditemos sempre até ao último minuto (hoje em dia então...), mas ainda há reminiscências do passado que por vezes nos atiram para a fatalidade. Como o facto de desde 1953 não ganharmos um campeonato disputado em ano ímpar. Há 68 anos! Faltam 9 vitórias(*). Haja coração! Entretanto, lá em cima, a estrelinha da Maria José Valério brilha e brilha, ofuscando as demais...

 

(*) Assumindo uma derrota em Braga por diferença inferior a 3 golos

 

Tenor "Tudo ao molho...": João Mário (esteve nos dois golos e este foi o jogo em que o vi mais vezes perto da área adversária). Coates (uma vez mais salvador), Gonçalo Inácio (sempre seguro na saída de bola curta) e Pote (procurou espaço entre-linhas e marcou um belo golo) estiveram acima dos outros. 

coates4.jpg

13 comentários

Comentar post

Mais sobre mim

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Mensagens

Arquivo

  1. 2021
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2020
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2019
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2018
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D

Castigo Máximo

De forma colocada, de paradinha, ou até mesmo à Panenka ou Cruijff, marcaremos aqui a actualidade leonina. Analiticamente ou com recurso ao humor, dentro ou fora da caixa, seremos SPORTING sempre.

Siga-nos no Facebook

Castigo Máximo

Comentários recentes

  • Pedro Azevedo

    GPS é muito bom. Uma história curiosa: um grupo de...

  • Pedro Azevedo

    O Paulinho revela dificuldades na finalização a 1 ...

  • Verde Protector

    É una boa comparação com Firmino. Mas o brasileiro...

  • Pedro Azevedo

    Não esquecer a Quadriga Mafiosa do Liverpool forma...

  • Pedro Azevedo

    Obrigado, caro Verde Protector. A nossa mitologia ...