Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Castigo Máximo

De forma colocada, de paradinha, ou até mesmo à Panenka ou Cruijff, marcaremos aqui a actualidade leonina. Analiticamente ou com recurso ao humor, dentro ou fora da caixa, seremos SPORTING sempre.

De forma colocada, de paradinha, ou até mesmo à Panenka ou Cruijff, marcaremos aqui a actualidade leonina. Analiticamente ou com recurso ao humor, dentro ou fora da caixa, seremos SPORTING sempre.

Castigo Máximo

24
Jun20

Milagre de Santa Clara


Pedro Azevedo

O Santa Clara venceu ontem o Benfica na Luz. Logicamente, a derrota dos encarnados marcará a actualidade noticiosa, mas seria injusto não reconhecer o mérito desta equipa açoriana que tem, à condição (Sporting e Braga, ambos com o dedo de Ruben Amorim, ainda podem superar essa marca nesta jornada), o segundo melhor registo em pontos da segunda volta do campeonato. Nesses 11 jogos (seis vitórias, três empates e duas derrotas), o Santa Clara fez 21 dos seus 38 pontos na Primeira Liga, o que dá uma média de 1,91 pontos/jogo. Acresce que em apenas 3 jogos actuou verdadeiramente na condição de visitado, no seu estádio, na medida em que os açorianos estão há 1 mês instalados no continente como providência, exemplar diga-se, de contenção da pandemia no arquipélago. Deste modo, tanto do ponto de vista da responsabilidade social como no plano desportivo está de parabéns o emblema açoriano, felicitações extensíveis aos seus dirigentes, jogadores e, naturalmente, ao seu treinador João Henriques. 

 

P.S. Desde que começou a segunda-volta, o Benfica perdeu 10 pontos para o FC Porto, 5 para o Santa Clara, 4 para Sporting e Braga (ambos com menos 1 jogo), 3 para o Rio Ave e tem os mesmos pontos que Boavista e Moreirense (menos 1 jogo). Belenenses SAD e Vitória de Guimarães (ambos com menos 1 jogo) fizeram apenas menos 1 ponto que os encarnados. 

João-Henriques.jpg

16
Dez19

Tudo ao molho e fé em Deus - Póquer nos Açores


Pedro Azevedo

Apesar de ter visitado São Miguel para jogar com (o) Santa Clara não foi preciso rezar a todos os santinhos para o Sporting sair dos Açores com uma vitória. É que independentemente do estado da relva, frio, chuva, neve ou calor, vento e humidade relativa, trocas e baldrocas tácticas, o futebol é um jogo fácil, fácil em que habitualmente ganha quem tem os melhores jogadores. Basta não complicar, colocando os ingredientes certos em campo. Com Ristovski em detrimento de Rosier, Mathieu em vez de Ilori, Acuña no lugar de Borja e Wendel a substituir um (até agora) holograma proveniente de um clube que também é um holograma de um outro que ainda é um grande em palmarés do futebol português (ufa!!!), os leões foram buscar aquele gostinho de Savora que, já se sabe, toda a comida melhora. E, ao contrário da pedagogia da comunidade médica, sem que com o recurso às especiarias o batimento cardíaco do adepto leonino saísse dos níveis de normalidade. Aliás, pelo contrário, já não tinha uma pulsação tão baixa e via um jogo do Sporting por puro entretenimento desde a penúltima vez que visitámos o Jamor.

 

O Sporting dominou o jogo de princípio ao fim, chegando ao intervalo a dever alguns golos à sua exibição após falhanços de Luiz Phellype e Bolasie. Bruno Fernandes e o surpreendente Ristovski destacavam-se na criação de oportunidades, mas seria o argentino Vietto, já a primeira parte caminhava para o seu termo, a proporcionar ao Felipe das Consoantes inaugurar o marcador. A marcar começaríamos também o segundo tempo quando Mathieu mostrou aos médios defensivos como sair a jogar e com um passe de 50 metros rasgou a defesa açoriana e isolou Ristovski no flanco oposto. O macedónio aproveitou e assistiu LP para o segundo da noite. De seguida, Bruno executou um canto e Bolasie, de cabeça, fez o terceiro. Inspirado pelo golo, o congolês teve o momento Messi do jogo, driblando quem lhe apareceu pela frente até ser derrubado já dentro da área. Na conversão, o inevitável Bruno Fernandes fechou o activo. Estava jogada uma hora de jogo e ainda havia mais meia-hora para disputar. Tempo então para Silas (bem) dar minutos a Batman, o vigilante hoje reaparecido em Ponta Delgada City, super-herói da intensidade defensiva a quem o "Tudo ao molho..." deseja as maiores felicidades.

 

Tenor "Tudo ao molho...": Stefan Ristovski. Boas exibições igualmente de Bolasie, Bruno Fernandes, Luiz Phellype, Vietto (falta-lhe golo e consistência para acompanhar a qualidade técnica que evidencia), Acuña e Mathieu. Os restantes titulares estiveram num plano aceitável.

brunofernandesneto1.jpg

13
Dez19

Vem mesmo a calhar...


Pedro Azevedo

Dada a pobreza franciscana do nosso futebol, Santa Clara vem mesmo a calhar...

 

P.S. Santa Clara, ou Clara de Assis, foi seguidora de São Francisco de Assis

16
Mar19

Tudo ao molho e fé em Deus - Pobreza franciscana


Pedro Azevedo

Como que para provar que na vida não há concidências, o Sporting recebeu ontem um clube que no seu nome evoca Santa Clara (Chiara d`Offreducci, seguidora da São Francisco de Assis) e realizou um jogo de uma pobreza franciscana, no fundo a mesma a que parece confinado outro Francisco, o Geraldes, em termos de utilização na equipa, ele que só por milagre não estará destinado a ter de ir pregar itenerantemente por outras freguesias o seu futebol, visto que em Alvalade só o deixam pregar gameboxes. 

 

Este foi mais um jogo iniciado sem um único jogador da nossa Formação no "onze" titular, o óbvio ululante, como diria Nelson Rodrigues, que expõe a contradição entre um dos dois motivos (aposta na Formação/futebol positivo) enunciados por Frederico Varandas para a contratação do senhor Keizer e aquilo que se passa na prática. Ora, isto seria matéria suficiente para o senhor presidente confrontar o treinador holandês com os factos e ser ele próprio interrogado pelos sócios sobre a opção que tomou, pelo que, à cautela, nada melhor do que colocar um ovo de Colombo em cima da mesa e dizer que a nossa Formação não tem qualidade. Assim, iliba-se de uma só penada presidente e treinador e ganha-se tempo. Ah, a imagem do clube? Não há problema, logo de seguida renova-se com uma dúzia de jovens jogadores. O clube está com uma situação de tesouraria crítica e compromete o fair play financeiro (palavras de um administrador da SAD no Jornal Sporting)? Nada de mais, venha um carregamento de uma dezena de jogadores contratados no Inverno, todos eles certamente provenientes de bem mais excelsas escolas de formação e melhores do que os jovens dos sub-23. É só mais uma voltinha de um carrossel já antigo em que craques como Ronaldo, Figo, Simão, Quaresma, Hugo Viana, Bruma, Dier, João Mário, Adrien, William, Rui Patrício, et caetera, foram vendidos e ainda assim os resultados acumulados da SAD são francamente negativos e os seus capitais próprios encontram-se inteiramente diluídos. Entretanto, a Formação do nosso vizinho do lado, cheia de Jotinhas, até já levanta Ferro e sente-se Felix apoiada por Bruno Lage, enquanto os miúdos anseiam por ser os Bernardos e os Cancelos de amanhã, aqueles que tinham que "nascer 10 vezes" no tempo do outro senhor. Mudam-se os tempos, mudam-se as vontades... 

 

Keizer fez-nos acreditar numa laranja mecânica de onde se conseguiria extrair um intenso sumo, mas actualmente o futebol do Sporting assemelha-se mais a um limão gasto e todo espremido à mão. O encantamento outonal foi substituído pela alegria dos cemitérios de um futebol sem chama e pouco pressionante, com várias situações que escapam à compreensão do adepto comum, desde os dedos apontados a Nani até ao estranho eclipse de Bas Dost, passando pelo degredo de Jovane ou Miguel Luís. Adicionalmente, agora que o calendário já não está carregado, não se justificam exibições tão frouxas. 

 

Ontem, de destacar, a estreia positiva a titular de Doumbia, um jogador claramente com mais tracção à frente do que Gudelj, embora tenha ainda pormenores, nomeadamente de posicionamento defensivo e de ligação aos centrais para prosseguir a construção de jogo, a corrigir. A espaços Mathieu, Acuña e Bruno Fernandes (o melhor jogador deste elenco) mostraram a sua qualidade top, tendo os dois últimos sido providenciais no golo da vitória (um misto de "ratice" sul-americana e trivela não-sérvia), mas foi Raphinha o melhor em campo no meu entendimento (e não só por ter marcado). O ex-vimaranense foi protagonista quase exclusivo dos poucos desequilíbrios provocados nos açorianos, os quais se apresentaram compactos, reduziram espaços aos leões e, com o tempo, foram ficando mais afoitos, ao ponto de terem criado as melhores oportunidades de golo do jogo. Sendo frio e racional, ganhámos três pontos e continuamos a correr por fora. Enquanto houver vida no campeonato, temos de manter a esperança.

 

Tenor "Tudo ao molho...": Raphinha

raphinha santa clara.jpg

14
Mar19

O meu "onze" para amanhã


Pedro Azevedo

Contra a pobreza franciscana da nossa saída de bola, Doumbia deve alinhar com Santa Clara. Adicionalmente, lançaria Xico Geraldes no meio campo, gerindo o desgaste de Wendel, colocando Acuña como ala (e não como lateral) para equilibrar mais a equipa defensivamente. Este seria o meu "onze": Renan; Ristovski, Coates, Mathieu e Borja; Doumbia, Bruno Fernandes e Geraldes; Raphinha, Dost e Acuña. 

doumbia.jpg

Mais sobre mim

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Mensagens

Arquivo

  1. 2020
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2019
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2018
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D

Castigo Máximo

De forma colocada, de paradinha, ou até mesmo à Panenka ou Cruijff, marcaremos aqui a actualidade leonina. Analiticamente ou com recurso ao humor, dentro ou fora da caixa, seremos SPORTING sempre.

Siga-nos no Facebook

Castigo Máximo

Comentários recentes

  • Anónimo

    Bom dia PedroMais uma vez muito obrigado por este ...

  • Pedro Azevedo

    Caro Miguel, o mérito não é do cervejeiro, mas sim...

  • Anónimo

    Boa noite Pedro:O intenso trabalho próprio desta a...

  • Pedro Azevedo

    Queira desculpar a troca de nomes. Sei perfeitamen...

  • Pedro Azevedo

    O cabaz de jogadores traz-me dois problemas: aumen...