Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Castigo Máximo

De forma colocada, de paradinha, ou até mesmo à Panenka ou Cruijff, marcaremos aqui a actualidade leonina. Analiticamente ou com recurso ao humor, dentro ou fora da caixa, seremos SPORTING sempre.

De forma colocada, de paradinha, ou até mesmo à Panenka ou Cruijff, marcaremos aqui a actualidade leonina. Analiticamente ou com recurso ao humor, dentro ou fora da caixa, seremos SPORTING sempre.

Castigo Máximo

02
Nov22

Tudo ao molho e fé em Deus

O Trio de Performance e a compensação pelo Matheus


Pedro Azevedo

Caro Leitor, ontem foi o dia em que se ficou a conhecer que o contrato de venda do Matheus Nunes aos Wolves afinal tinha uns pozinhos extra não divulgados à Comissão de Valores. Bem sei, geralmente os contratos têm adendas às cláusulas que prevêm que se um jogador fizer um determinado número de jogos ou atingir um certo objectivo no novo clube, então o clube de origem terá direito a uma compensação adicional. O invulgar aqui é que esse "contrato", a que só o Castigo Máximo teve acesso, indica que se o Matheus Nunes não fizer um determinado número de jogos pelo Sporting esta temporada, então o clube verá substraídos no mínimo cerca de 10 M€ (não passagem aos "oitavos"), valor que ascenderá até aos 49 M€ (estimativa face ao Proveito da Champions em 21/22) na próxima época caso não acedamos à Champions, razão pela qual, feitas aqui umas contas à pressa, a venda de Matheus Nunes (45 M€ brutos) terá rendido ao Sporting qualquer coisa como -14 M€, ou seja, ainda termos de pagar 14 M€ pela sua saída (acrescido de comissões de intermediação ao agente Mendes). Um grande negócio(€)!

 

Foi também um dia para se perceber que uma unidade de Performance é pouco. Talvez duas ainda sejam insuficientes, pelo que o melhor será não olharmos a custos e por via das dúvidas estabelecermos três, um trio. Como os trios aliás são do nosso agrado e estão na moda, seja na defesa, no ataque e na própria estrutura (Varandas, Viana, Amorim), cria-se já aqui o Trio de Performance, alinhando assim espiritualmente a mente (placebo), o corpo e a alma (que os Sportinguistas desde cedo ouviram dizer ser o segredo do negócio). Assim talvez possamos resolver o problema do inusitado número de lesões até ver nesta época, a saber: Guarda-redes: Adán; Defesas: St Juste, Coates e Neto; Laterais/Alas: Porro e Nuno Santos; Médios: Ugarte, Bragança e Morita; Interiores: Jovane: Ponta de Lança: Paulinho. Uma equipa inteira, um 3-5-2 que poderia ser adaptado ao 3-4-3 com a passagem do Daniel para interno (do hospital/enfermaria). Um Onze de Lesionados, muitos deles de uma forma crónica (cómica?). É obra! [Mas duvido que passe proximamente na Sporting TV ou em acções de propaganda (médica).]

 

Continuando nos trios, há alguns famosos que nos poderiam servir de inspiração, como por exemplo "Os 3 Mosqueteiros" de Dumas ou o Luke Skywalker, a Princesa Leia e o Han Solo da saga da Guerra das Estrelas. Temo, porém, que ainda acabemos a cantar o "Anel de Noivado" - A igreja estava toda iluminada... - d'O Trio Odemira e a lamentarmos que o nosso outrora amado (Amorim) venha a casar com outro. É que, se virmos bem, substituição por substituição nunca produziu bem algum. Principalmente após lideranças estrategicamente pensadas e instituídas (e não de transição, como as originadas pelas trocas de Rodrigues Dias por Fernando Mendes ou de Materazzi por Inácio), como aliás a actual, do Rúben (embora cinco treinadores numa época se pudessem considerar uma transição rápida, acredita-se que a coisa se circunscreve melhor no domínio da Twilight Zone, que já se sabe tinha muito suspense, fantasia e uma moral no fim), personificadas à época por Mário Lino, Malcolm Allison e Lazlo Boloni. E se após Lino "só" ficámos 6 anos sem ver o Caneco, depois do inglês e do romeno houve uma seca de 18 e 19 anos, respectivamente. Assim, mal por mal, é melhor deixar ficar como está, até porque sabemos que o "como está" já "esteve muito bem" e se calhar só precisa de descanso, momento que está a chegar com a pausa para o campeonato do mundo. 

 

O que já ninguém me tira é o stress causado pela troca do "jogo-a-jogo" pelo "já estamos a preparar a próxima época". (Seria bom que o descanso e o afastamento necessários trouxessem algo de novamente esperançoso na rentrée.) É que se os 3 meses do defeso passado originaram prematuramente a burrada que se conhece, imagine-se o parto que uma gestação de 9 meses não pode vir a produzir... E como serão utilizados esses 9 meses? Para nos reafirmarem não ser necessário um ponta de lança? Para continuarmos a procurar Minimeus ou Leprechauns no mercado? Não sei, mas eu desconfio que estes Leprechauns nos esconderam o Pote de Ouro. E, sem Pote de Ouro, não há golo, kaput! (Eintracht/Champions.)

 

Tenor "Tudo ao molho...": o Rei Arthur

 

P.S. Perdemos este jogo com um penalty ridículo e um golo sofrido de forma demasiadamente fácil. O resto foram 90 minutos de luta, com o mínimo dos mínimos de discernimento.

MuaniEintrachtFrankfurtDR.jpg

01
Nov22

Sem saco para a conversa do dinheiro e com a noção do porquê do Sporting


Pedro Azevedo

Hoje não é o dia para relembrarmos o início de época menos conseguido, muito menos para antecipadamente prepararmos uma desculpa para um eventual insucesso com base no nosso histórico na Champions, hoje é, sim, o dia para nos levantarmos uma e outra vez até que os cordeiros voltem a ser leões e se cumpra o desígnio, o lema enunciado por José Alvalade: "Tão grandes como os maiores da Europa". Porque, como um certo dia afirmou um senhor que percebia alguma coisa de futebol (Cruijff), eu nunca vi um saco de dinheiro a ganhar um jogo. Então, tenhamos consciência e orgulho do nosso passado, confiança no presente e a ousadia para não falharmos o encontro com o nosso profetizado futuro. Assim, logo à noite, exibamos a nossa força, ou, como diria o imortal António Silva (the one and only, o nosso): "Aí, Leões!!!". Spoooooorting!!!

 

PS: Nós somos o clube de Peyroteo, o melhor goleador da história do futebol mundial, dos 5 Violinos, de Figo e de Ronaldo, do Livramento e do Chana, de Agostinho e do campeoníssimo Carlos Lopes. É, por conseguinte, mais do que o tempo de abandonarmos o discurso sistematicamente miserabilísta e exortarmos e procurarmos emular o melhor de quem nos serviu ao longo da nossa história gloriosa. Sim, porque o Sporting não nasceu com Varandas ou Bruno, nem  mesmo com João Rocha ou Ribeiro Ferreira (o presidente que venceu mais campeonatos de futebol), e o nosso ADN sempre foi ganhar (a Formação é uma via, um meio para a sustentabilidade, nunca o ADN do clube como tantas vezes vejo escrito erradamente por aí). E a nossa alma não é o "segredo do negócio", mas sim o segredo da perseverança dos nossos adeptos, da sua resiliência, do seu amor ao clube. Amor esse que, como qualquer amor que se preze, não é negociável, não se vende, não se hipoteca a outros valores(€). Haja noção!!!

José_de_alvalade.jpg

antonio silva.jpg

Mais sobre mim

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Mensagens

Arquivo

  1. 2022
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2021
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2020
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2019
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2018
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D

Castigo Máximo

De forma colocada, de paradinha, ou até mesmo à Panenka ou Cruijff, marcaremos aqui a actualidade leonina. Analiticamente ou com recurso ao humor, dentro ou fora da caixa, seremos SPORTING sempre.

Siga-nos no Facebook

Castigo Máximo

Comentários recentes

  • Aboím

    O nome que me faltava era Duarte e o pai dele tinh...

  • Aboím

    Sou de facto do Norte (nascido em Trás os Montes) ...

  • Pedro Azevedo

    E eu a pensar que os holandeses sonhavam com tulip...

  • Pedro Azevedo

    Caríssimo Aboím, ganhámos!!! Mas podíamos ter poup...

  • Aboím

    Num comentário anterior eu deveria ter escrito (co...