Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Castigo Máximo

De forma colocada, de paradinha, ou até mesmo à Panenka ou Cruijff, marcaremos aqui a actualidade leonina. Analiticamente ou com recurso ao humor, dentro ou fora da caixa, seremos SPORTING sempre.

De forma colocada, de paradinha, ou até mesmo à Panenka ou Cruijff, marcaremos aqui a actualidade leonina. Analiticamente ou com recurso ao humor, dentro ou fora da caixa, seremos SPORTING sempre.

Castigo Máximo

09
Fev19

(Re)aggiornamento


Pedro Azevedo

Há uns meses atrás, os sócios do Sporting pronunciaram-se essencialmente sobre o que não queriam. Recuperando as palavras do poeta (Régio), mais do que por onde ir, ou para onde ir, os sportinguistas mostraram não querer ir por um certo caminho.

 

Ora, existe uma diferença substancial entre saber-se o que não se quer e saber-se o que se quer, e o Sporting está neste momento nessa encruzilhada. Se a primeira uniu um grupo considerável de sócios, o caminho a seguir oferece dúvidas e divide as pessoas. Desde logo, porque os princípios estratégicos não são claros ou não são totalmente visíveis na prática.

 

Não obstante ainda haver pequenas bolsas de resistência em alguns sectores saudosos de um antigo regime, estou convencido de que é a falta de convicção que se nota em algumas decisões dos actuais corpos dirigentes aquilo que vai impedindo uma participação mais efusiva dos sócios. Urge, portanto, desfazer equívocos e alinhar as pessoas em torno de um ideário comum. A participação dos sócios é essencial para que o clube possa recuperar a sua vitalidade, seja por via da militância nos estádios, pavilhões e pistas, seja por uma maior adesão às acções de marketing que o clube deseja desenvolver.

 

Nesse sentido, reveste-se de capital importância o papel da Comunicação. Esta deverá promover o que de bom se faz internamente, nomeadamente a excelência dos nossos atletas e dos seus resultados, o importantíssimo contributo em termos de responsabilidade social e de integração dado pela criação da secção de desporto adaptado, o gabinete olímpico e melhoria das condições de alto rendimento/performance, a promoção do nosso know-how desportivo, social, educativo e organizativo expresso na Academia de Alcochete, a divulgação de verdadeiros Dias do Sporting, com horários dos jogos no Pavilhão João Rocha conjugados com os do futebol profissional no estádio de Alvalade, permitindo maiores afluências de adeptos, de familias, às amadoras e um reforço do espírito leonino, a homenagem sentida e com lugar de destaque a todos os antigos atletas - a cada mês do calendário poderia corresponder o nome de um antigo atleta, englobando um conjunto vasto de iniciativas que permitisse aos sócios e adeptos conhecer melhor a história do clube, o seu ecletismo, com a participação da Sporting TV e do nosso jornal, com eventos no estádio, pavilhão e academia que visássem a adesão dos jovens, mas também de adultos - que com o seu esforço, a sua dedicação e a sua devoção contribuiram para a glória desta incontornável instituição chamada Sporting Clube de Portugal.

 

Por todos os motivos, temos de ser melhores naquilo que depende de nós. (Quando vejo o Benfica a promover qualquer nado-vivo recém saído da incubadora do Seixal e não noto de quem manda no meu clube o empenho em valorizar e defender atletas do calibre de um Bruno Fernandes ou de um Acuña, eu penso nisso. Da mesma forma que me incomoda ver sonegado ao nosso rol de títulos a taça europeia conquistada no Goalball, sem uma explicação credível ou, pelo menos, sem uma aplicação prática à altura das palavras enunciadas. "Parole, parole"...)

 

Não nos devemos esquecer do nosso próprio caminho, das nossas referências, da nossa identidade. Ter um discurso positivo, estimulante, inclusivo, entusiasmante. Estratégico, mas também táctico. Visando o longo prazo, não desprezando o dia seguinte. Que inspire sócios e adeptos. É isso que temos de esperar de uma Direcção do clube, até porque quem corre por fora tem de necessariamente impor um ritmo mais forte e é preciso comprar tempo, qualidade que distingue um bom de um mau gestor.

 

Fomentemos a vida leonina entre os adeptos, adaptando-a às necessidades dos tempos correntes, promovamos tudo o que possa conduzir à nossa união, fortaleçamos tudo o que possa contribuir para maior adesão aos estádios, pavilhões e ao seio da nossa familia: o "aggiornamento". Viva o Sporting Clube de Portugal!!!  

simbolosporting.png

4 comentários

Comentar post

Mais sobre mim

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Mensagens

Arquivo

  1. 2020
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2019
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2018
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D

Castigo Máximo

De forma colocada, de paradinha, ou até mesmo à Panenka ou Cruijff, marcaremos aqui a actualidade leonina. Analiticamente ou com recurso ao humor, dentro ou fora da caixa, seremos SPORTING sempre.

Siga-nos no Facebook

Castigo Máximo

Comentários recentes

  • Pedro Azevedo

    A questão do futebol português não pode nem deve s...

  • Anónimo

    Então, e como consegue explicar que o Porto seja c...

  • Pedro Azevedo

    Meu caro, você foi eliminado por aquele conjunto d...

  • Pedro Azevedo

    Não se trata de miserabilíssimo, mas sim de realis...

  • Anónimo

    Até podia estar avaliado em 500 milhões, que eu co...