Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Castigo Máximo

De forma colocada, de paradinha, ou até mesmo à Panenka ou Cruijff, marcaremos aqui a actualidade leonina. Analiticamente ou com recurso ao humor, dentro ou fora da caixa, seremos SPORTING sempre.

De forma colocada, de paradinha, ou até mesmo à Panenka ou Cruijff, marcaremos aqui a actualidade leonina. Analiticamente ou com recurso ao humor, dentro ou fora da caixa, seremos SPORTING sempre.

Castigo Máximo

23
Abr21

Procurar a felicidade


Pedro Azevedo

Muito se tem falado da juventude do plantel do Sporting como causa próxima de algum nervosismo que alegadamente a equipa vem relevando nos últimos jogos. Todavia, sem querer apontar o dedo a alguém, a realidade é que no encontro com o B Sad os erros mais clamorosos foram cometidos por João Mário e Antonio Adán, dois elementos dos mais experientes do lote de jogadores que Rúben Amorim tem à disposição. Bem sei que TT baixou um pouco de produção, que a Gonçalo Inácio são atribuídas criticas neste último jogo - a meu ver injustificadas, porque se é certo que no primeiro golo poderia ter apertado um pouco mais o jogador da B Sad quando este se virou de costas, não deixa de ser verdade que posteriormente Palhinha deixou fugir Varela e Matheus Reis perdeu a noção de marcação ao ponta de lança, fixando-se só na bola (o segundo golo nem tem discussão, pois apertado tem de executar um passe tenso, passe esse ao qual Adán, que já nos salvou em múltiplas ocasiões, até respondeu com uma razoável recepção) - e Porro, após a paragem para as selecções, não regressou no seu nível habitual, mas por exemplo Nuno Mendes (18 anos) foi provavelmente o melhor homem em campo e Jovane, Matheus Nunes e Bragança entraram bem. 

 

O que penso ser importante nesta hora dizer é que este não é um tempo de nos prepararmos para a justificação do desaire, isso só criará crispação nos elementos mais jovens e facilmente escrutináveis em primeiras leituras que muitas vezes se revelam precipitadas. É, sim, o momento de cerrarmos fileiras e procurarmos ser felizes. E isso passa por quem de direito necessariamente analisar friamente o que tem recentemente corrido menos bem e corrigir. Sim, porque não só dos erros individuais resultaram desfechos desfavoráveis, a dinâmica colectiva não é hoje a mesma de há alguns meses atrás. Aos adeptos apenas resta continuarem a fazer uma corrente positiva que transmita confiança à equipa. Pode parecer pouco, mas o contrário seria por demais pernicioso. Força, Sporting!

14 comentários

Comentar post

Mais sobre mim

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Mensagens

Arquivo

  1. 2023
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2022
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2021
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2020
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2019
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2018
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D

Castigo Máximo

De forma colocada, de paradinha, ou até mesmo à Panenka ou Cruijff, marcaremos aqui a actualidade leonina. Analiticamente ou com recurso ao humor, dentro ou fora da caixa, seremos SPORTING sempre.

Siga-nos no Facebook

Castigo Máximo

Comentários recentes

  • Pedro Azevedo

    Por acaso esta época perdemos poucos jogos a jogar...

  • Pedro Azevedo

    Trememos, mas não caímos. Agora vem o Porto. Pela ...

  • Pedro Azevedo

    Realmente, 4 centrais futevoltaicos (pronuncia-se ...

  • José da Xã

    Ganhámos... é o que importa. Se jogamos bem ou ma...

  • JG

    O modelo de Amorim não dá para mais. Se contra equ...