Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Castigo Máximo

De forma colocada, de paradinha, ou até mesmo à Panenka ou Cruijff, marcaremos aqui a actualidade leonina. Analiticamente ou com recurso ao humor, dentro ou fora da caixa, seremos SPORTING sempre.

De forma colocada, de paradinha, ou até mesmo à Panenka ou Cruijff, marcaremos aqui a actualidade leonina. Analiticamente ou com recurso ao humor, dentro ou fora da caixa, seremos SPORTING sempre.

Castigo Máximo

08
Ago19

Política desportiva


Pedro Azevedo

As recentes dispensas de Gelson Dala e de Matheus Pereira, associadas aos rumores que apontam para a necessidade de recrutamento no mercado de um ala e de um ponta de lança, criam perplexidade. Desde logo, porque cedo se tornou evidente que o Sporting precisava de um ala com características mais desequilibradores e de um avançado com outra mobilidade, técnica e ligação de jogo. Que poderiam muito bem ser os agora libertos Matheus e Dala. Não o sendo para quem dirige, não se compreende que a nossa prioridade no mercado tenha sido a contratação de um lesionado Rosier por 8 milhões de euros (€5 milhões + Mama Baldé, temendo-se o que teria sido o valor pago por este lateral direito caso o jogador estivesse logo apto para competir). Também não é entendível que em duas janelas de transferências se tenham contratado Plata e Camacho e nos continuemos a queixar de falta de qualidade nas alas (dinheiro mal gasto em tempo de recursos escassos?). Já para não falar do risco inerente à contratação de Vietto (os 50% mais caros da história do clube), um jogador com salário elevadíssimo para a nossa conjuntura, ou do sentido que possa fazer deixar sair o ainda jovem Domingos Duarte e ir buscar o veterano Neto. 

 

O tempo por vezes tudo faz esquecer e há quem possa ver vontade apenas de criticar. Nesse sentido, recupero aqui o Post que fiz neste blogue, com o título "Ensaio sobre o Plantel de 2019/20", no dia 29 de Maio deste ano, numa altura em que só as contratações de Neto e Vietto eram uma inevitabilidade. Descubra o Leitor as diferenças (nota: a cotação de alguns dos jogadores sugeridos foi recentemente actualizada em alta pelo Transfermarket; dado que Keizer parece não ver as qualidades que eu observo em Matheus Nunes, então Daniel Bragança seria a opção lógica para o substituir no plantel proposto):

 

"Ficando a aguardar as sugestões dos nossos Leitores, aqui fica o meu esboço de plantel para a temporada de 2019/20:

 

Guarda-redes - Renan é, provavelmente, um dos jogadores mais subvalorizados do campeonato português. Muito tempo tapado no São Paulo pelo ídolo Rogério Ceni, naturalmente o seu estatuto quando chegou à Europa não era impressionante. Vi-o, na época anterior, no famoso "jogo do vento", em que o Estoril bateu o Sporting, e gostei dos seus reflexos. Contratado por Sousa Cintra a título de empréstimo, mereceu amplamente a confiança nele depositada, tendo sido providencial na conquista das duas taças. Muito elástico entre os postes, viu sobre ele pairar o anátema de que geralmente tocava na bola antes desta entrar. Sempre vi nisso uma qualidade e não um defeito, na medida em que nunca dava uma bola perdida, inclusivé aquelas em que ficaria melhor na fotografia se não se mexesse. Deu vários pontos ao Sporting este ano com defesas incríveis em momentos decisivos do jogo. Assim de repente, recordo-me do jogo em casa contra o Portimonense, o de Chaves, entre outros. Deverá melhorar o seu jogo de pés e a antecipação de certos lances, nomeadamente cobrindo melhor o espaço deixado nas costas por uma defesa subida. Para mim, é um valor seguro. 

Salin não comprometeu quando chamado, com destaque para o jogo na Luz, e parece fazer um bom balneário. Deve melhorar a sua acção nos cruzamentos por alto. Max também é bastante elástico e deverá começar a ter minutos nas taças, alternando com Salin. A primeira regra da economia é a de que os recursos são escassos, pelo que para mudar teria de ser para fazer a diferença. Como tal, aplicaria o dinheiro no reforço de outras posições.

A minha opção: Renan, Salin, Max (promovido dos sub23)

 

Lateral Direito - Bruno Gaspar é curto para as ambições do Sporting e deve ser colocado no mercado (venda ou empréstimo com os ordenados pagos) e Ristovski é um touro a quem não se pode pedir números de primeira bailarina. Ainda assim, o macedónio é um daqueles carregadores de piano que misturados na dose certa com jogadores virtuosos e jovens da Formação podem produzir um bom cocktail, vidé a época de Allison, onde Barão, Marinho e Nogueira tiveram um papel determinante no sucesso. Assim sendo, promoveria definitivamente Thierry Correia e investiria noutras posições, a não ser que surgisse uma proposta muito boa pelo macedónio. Num sistema de 3 centrais, Mama Baldé (ou Raphinha) poderia até fazer toda a ala na maioria dos jogos em Alvalade.

A minha opção: Ristovski e Thierry Correia (promovido dos sub23)

 

Centrais - Mathieu é imprescindível. Coates tem dias, mas é jogador acima da média. Neto já foi confirmado. Faria regressar Domingos Duarte, que foi eleito para a melhor dupla de centrais da La Liga2, e manteria Borja, de forma a ter um canhoto como alternativa a Mathieu, se tivesse a certeza de que Keizer não apostaria nele como lateral esquerdo. Cinco centrais parece-me adequado para o sistema de 3 centrais que creio irmos ver mais vezes na próxima temporada. Ivanildo, central pela esquerda, ainda não me convenceu totalmente. Faz-me lembrar Ilori (vendê-lo-ia), com as suas frequentes distrações fatais, embora seja mais novo e ainda vá a tempo de corrigir esse aspecto.

A minha opção: Domingos Duarte (regresso de empréstimo), Coates, Neto, Mathieu, Borja

 

Lateral Esquerdo - Se a ideia de Keizer é Borja poder jogar como lateral, a minha recomendação seria que o vendessem já, aproveitando a valorização inerente às suas convocatórias para a selecção da Colômbia. Borja é um jogador hesitante, que estranhamente vai recolhendo comentários favoráveis de adeptos leoninos convencidos de que existe elevado potencial num jogador de 26 anos que ainda tem dificuldade em perceber os terrenos que pisa. A mim, faz lembrar um indíviduo que vai à caça e, a meio do caminho, se lembra de que deixou a arma em casa e volta para trás. Acuña é um dos três melhores jogadores do actual Sporting, conjuntamente com Bruno e Mathieu. A sua influência melhora bastante num sistema de 3 centrais, onde encontra maior liberdade para aplicar aqueles seus centros com curva que tão bons resultados vêm produzindo. Creio que a sua posição ideal é mesmo essa, pois assim vê o jogo de frente. Por não ser muito inventivo a nível de finta, como ala não é determinante, obrigando-o muitas vezes a jogar de costas para o adversário e a rodar para causar perigo. Nessa posição revela, no entanto, uma qualidade interessante: a sua leitura do jogo interior. Para o acompanhar, procuraria um lateral com outras características, mais rápido, com maior explosão e que jogasse mais por fora. Como não temos fornada imediata nas camadas jovens, procuraria um jogador jovem para desenvolver. Caso Acuña saia (não quero de todo), contrataria Angeliño (PSV Eindhoven).

A minha opção: Marcos Acuña e Gian-Luca Itter (alemão, Wolfsburgo, 20 anos, 2M€ Transfermarket) 

 

Médio Defensivo - Gudelj e Petrovic têm ordenados incomportáveis. Para além disso, não caminham para novos, pelo que entendo que não se justifica o custo, pese embora a excelente atitude demonstrada por Petrovic na Taça da Liga, ou o esforço de Gudelj. Comprámos em Janeiro dois jogadores que precisamos de desenvolver (Doumbia e Matheus Nunes) e Battaglia está de regresso. 

A minha opção: Doumbia, Matheus Nunes (promovido dos sub23), Battaglia

 

Médio "box-to-box" - Wendel cresceu muito na última temporada, Miguel Luís deu boas indicações até sair da equipa e Battaglia ou Matheus Nunes (até mesmo Doumbia) podem fazer a posição. Daria uma última oportunidade a Ryan Gauld, porque vejo nele um jogador capaz de dar geometria e dinâmica (fazendo a bola correr) ao jogo.

A minha opção: Wendel, Miguel Luís, Ryan Gauld

 

Médio de ataque - Fica Bruno é o sentimento na cabeça da esmagadora maioria dos adeptos. Alguns, poucos, vêm numa potencial venda uma oportunidade de sanear as finanças. Bruno tem 3 valências (pelo menos) a considerar: é o criativo da equipa, pode facilmente jogar a "8" e é o capitão por todos respeitado, conseguindo congregar à sua volta todo o plantel. A sua inteligência não é apenas demonstrada no campo, também fora dele dá cartas, parecendo sempre saber o que dizer e quando fazê-lo, não se coibindo de distribuir os louros por todos os colegas. Não o venderia e compraria Vlap, um jogador que transformaria facilmente o 4-3-3 num 4-4-2. Se Bruno sair, ficaria com Geraldes (por mim, ficaria sempre, mas Keizer não o utiliza, pelo que...). O ucraniano Malinovskyi, de quem se tem falado, é um jogador diferente do holandês aqui referido. Enquanto um procura mais as combinações para finalizar vindo de trás (Vlap), o outro é mais um organizador de jogo e tem no remate de meia distância (bola parada incluída) a sua principal virtude. Mas Ruslan Malivovskyi, actualmente no Genk, que marcou 16 golos e fez 16 assistências no campeão belga, já tem 26 anos, o que para um médio já reduz um pouco o seu valor de mercado numa futura venda (guarda-redes, centrais e pontas de lança mantêm mais o valor).

A minha opção: Bruno Fernandes (Francisco Geraldes) e Michel Vlap (holandês, Heerenveen, 21 anos, 17G e 6A em 18/19, 4M€ Transfermarket) 

 

Ala Direita - Raphinha ficou um pouco aquém das expectativas iniciais, nomeadamente mostrando dificuldades no 1x1. Mas é um jogador muito rápido, que cruza bem, tem golo e se mostra comprometido com a equipa. Mudá-lo-ia de flanco e daria uma oportunidade a Mama Baldé (pé direito). Faria regressar Matheus Pereira (pé esquerdo) para completar o leque de alas e manteria Jovane.

A minha opção: Mama Baldé (regresso de empréstimo), Matheus Pereira (regresso de empréstimo), Jovane   

 

Ala Esquerda - Raphinha continuaria, Diaby seria vendido. Contrataria mais alguém que adicionasse inequivocamente qualidade à equipa. A minha escolha seria Younes, um ala que joga preferencialmente com o pé direito, mas que se posiciona sobre a esquerda partindo em diagonais. Nas movimentações faz lembrar Nolito, mas possui mais recursos técnicos.

A minha opção: Raphinha e Amin Younes (alemão, 25 anos, ex-Ajax, Nápoles, 5M€ Transfermarket)

 

Ponta de Lança - O Sporting precisa de fazer algum dinheiro e admitiria vender Bas Dost caso surgisse alguma proposta à volta de 20M€. Manteria Luíz Phellype, teria Vietto e Gelson Dala como opções contrastantes (mais móveis, velozes e técnicos) e contrataria um outro ponta de lança que combinasse ambas as características.

A minha opção: Luíz Phellype, Gelson Dala, Vietto, Mbwana Samatta (tanzaniano, Genk, 26 anos, 9M€ Transfermarket) 

 

Vendas: Ilori, Misic, Diaby, Bas Dost, Bruno Gaspar, Jefferson, André Pinto, Mattheus Oliveira, Jonathan, Lumor, Iuri Medeiros, Borja (se surgir uma boa oferta), entre outros, com a expectativa de fazer um mínimo de 40M€ (+poupança de 8M€ em ordenados anuais) 

Dispensas: Petrovic e Gudelj (poupança conjunta de 5M€/ano)

Empréstimos: Ivanildo (fica, se Borja sair), Palhinha (tem +1 ano de contrato com o Braga), Alan Ruiz (ninguém nos vai dar nem perto do que pagámos por ele), Daniel Bragança.

 

Nº de jogadores da Formação: 8

Nº de jogadores até aos 23 anos: 14 (metade do plantel)

 

Conclusão: total de vendas de 40M€ e poupança anual em salários de 13M€, a que há que adicionar o global do negócio Gelson (15M€, admitindo que não há comissões), teriam um impacto positivo nos Resultados de 68M€, 53M€ dos quais já no exercício de 2019/20. As compras aqui sugeridas, no valor de 20M€, mais os ordenados desses jogadores (vamos admitir que seriam de 6M€), teriam um impacto negativo no mesmo período de cerca de 10M€ (as compras entram como amortização anual do valor e, para o efeito, admite-se contratos de 5 anos), o que daria um resultado Liquido nestas operações de 43M€.

 

P.S. Dos jogadores do actual plantel, em termos significativos há apenas que considerar a subida de ordenado de Bruno Fernandes (admitindo que fica). O meu pressuposto principal é que há 3 jogadores insubstituíveis, pelo seu patamar de qualidade: Bruno, Mathieu e Acuña. Se Younes chegasse, então teríamos um quarto jogador garantido a esse nível, havendo ainda a esperança que Raphinha, Wendel ou Matheus Pereira (jogadores ainda bastante jovens) venham a elevar as suas exibições para um nível de excelência. O plantel teria 28 jogadores.

 

Tem a palavra o Leitor...

 

Disclaimer: não tenho, obviamente, qualquer interesse económico nos jogadores referenciados, com quem aliás nunca falei e não conheço pessoalmente."

Mais sobre mim

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Mensagens

Arquivo

  1. 2020
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2019
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2018
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D

Castigo Máximo

De forma colocada, de paradinha, ou até mesmo à Panenka ou Cruijff, marcaremos aqui a actualidade leonina. Analiticamente ou com recurso ao humor, dentro ou fora da caixa, seremos SPORTING sempre.

Siga-nos no Facebook

Castigo Máximo

Comentários recentes

  • Pedro Azevedo

    Queira desculpar a troca de nomes. Sei perfeitamen...

  • Pedro Azevedo

    O cabaz de jogadores traz-me dois problemas: aumen...

  • Pedro Azevedo

    Sobre os Estatutos concordo consigo. Sobre a limit...

  • Pedro Azevedo

    Caro LMGM, consomem-se múltiplos recursos no trata...

  • LMGM

    Não consigo encontrar justificação para existir qu...