Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Castigo Máximo

De forma colocada, de paradinha, ou até mesmo à Panenka ou Cruijff, marcaremos aqui a actualidade leonina. Analiticamente ou com recurso ao humor, dentro ou fora da caixa, seremos SPORTING sempre.

De forma colocada, de paradinha, ou até mesmo à Panenka ou Cruijff, marcaremos aqui a actualidade leonina. Analiticamente ou com recurso ao humor, dentro ou fora da caixa, seremos SPORTING sempre.

Castigo Máximo

28
Nov21

O dia em que o futebol morreu


Pedro Azevedo

O jogo que opôs ontem essa criatura malparida a quem se deu o nome de B SAD e o Benfica remeteu-nos para os bancos de escola e a figura patusca do guarda-redes avançado. Sem uniformidade de número de jogadores em campo, um nove contra onze que acabaria por redundar no seis contra onze que concluiria o tormento (para não dizer farsa) observado no relvado. Ontem, o futebol português morreu. E o palco escolhido para o féretro também não podia ter sido mais apropriado: o Estádio Nacional, ele também já, por outros motivos, tantas vezes apodado de Pântano do Jamor. Seguir-se-á o habitual sacudir de água do capote, desporto nacional de eleição de quem não tem um pingo de sentido de responsabilidade, vergonha e as mínimas condições de organização e liderança. Lá fora, as reações oscilam entre a estupefacção e o escárnio, algo que não deve deixar de indignar quem luta por um país melhor e quer ter orgulho da sua pátria, das suas gentes, e honrar a nossa história. Num país a sério não ficaria pedra sobre pedra no edifício a quem cabe organizar as competições profissionais de clubes e a acção da DGS seria minuciosamente escrutinada. Por cá, ficaremos à espera. Eventualmente serão criadas algumas Comissões, forma ideal de empurrar o assunto para as calendas gregas e o esquecimento. Porém, quem tem vergonha na cara e ama o futebol não poderá nunca esquecer o que ocorreu ontem, o dia em que o futebol português morreu. Mas ressuscitará, porventura, num outro dia, porque a bola, mesmo quando enlameada, não se suja. A bola. 

b sad 2.jpg

4 comentários

Comentar post

Mais sobre mim

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Mensagens

Arquivo

  1. 2022
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2021
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2020
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2019
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2018
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D

Castigo Máximo

De forma colocada, de paradinha, ou até mesmo à Panenka ou Cruijff, marcaremos aqui a actualidade leonina. Analiticamente ou com recurso ao humor, dentro ou fora da caixa, seremos SPORTING sempre.

Siga-nos no Facebook

Castigo Máximo

Comentários recentes

  • Pedro Azevedo

    Pois eu estreei-me ao vivo com um 5-1 ao Porto de ...

  • jpt

    Bela memória (os 7-0 ao Olhanense foram o primeiro...

  • Pedro Azevedo

    Todos eles infelizmente já falecidos, caro João Gi...

  • João Gil

    Eterno, inesquecível. De memória só, pelos golos m...

  • Anónimo

    Eterno, inesquecível. De memória só, pelos golos m...