Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Castigo Máximo

De forma colocada, de paradinha, ou até mesmo à Panenka ou Cruijff, marcaremos aqui a actualidade leonina. Analiticamente ou com recurso ao humor, dentro ou fora da caixa, seremos SPORTING sempre.

De forma colocada, de paradinha, ou até mesmo à Panenka ou Cruijff, marcaremos aqui a actualidade leonina. Analiticamente ou com recurso ao humor, dentro ou fora da caixa, seremos SPORTING sempre.

Castigo Máximo

16
Fev19

Mercado de Inverno


Pedro Azevedo

Por muito boa vontade que possa haver, custa-me muito compreender a acção do Sporting no Mercado de Inverno. Isto é, eu entendo que o estrangulamento financeiro, aliado à muito previsível perda do maior objectivo da temporada para um clube grande (campeonato nacional), impele o clube a vender alguns dos jogadores que mais pesam na conta de exploração. (Não conheço os salários de ambos os jogadores, mas alguns "sites" indicam que Nani ganhava 4 milhões de euros brutos por ano.)

 

Percebo também que se tenha esticado o mais possível o prazo para a venda até ao final da última janela de transferências aberta, procurando assim não prejudicar o desempenho da equipa. Acontece que o plantel do Sporting não tem muitos jogadores de qualidade acima da média e a saída destes dois jogadores tem o potencial de ainda vir a reduzir mais a capacidade competitiva da equipa e a identificação do grupo com o clube (Nani era o capitão, produto da nossa Formação e leão assumido). Adicionalmente, transmite o sinal de que "deitámos a toalha ao chão", mesmo que a segunda mão dos dezasseis-avos-de-final da Liga Europa (uma montra para o mundo onde podemos valorizar os nossos activos) ainda esteja por disputar, bem como a segunda mão da meia-final da Taça de Portugal. E menos ainda se compreende como gastámos, a fazer fé na imprensa dado que o clube não divulgou os dados oficiais, 12 milhões de euros em contratações (a que acrescem os salários) de 9 jogadores, onde se incluem o albanês Lico, os brasileiros Ronaldo (ex-Alverca), Matheus Nunes e Luíz Phellype, o marfinense Idrissa Doumbia, o colombiano Borja, o equatoriano Plata e os portugueses Ilori e Neto (este para a próxima época). Isto para além do regresso de Francisco Geraldes, que segundo li implicou uma compensação ao Eintracht Frankfurt pelos salários pagos desde o início do empréstimo (informação surgida na imprensa e que carece de confirmação oficial). Ora, o preocupante é termos gasto este dinheiro e na última quinta-feira nenhum destes jogadores ter sido utilizado como titular (apenas Luíz Phellype entrou na segunda parte). Mesmo olhando para os jogos anteriores, apenas Borja e Ilori têm sido aposta na equipa principal. 

 

Perante isto, o que me faz confusão é que estejamos a gastar dinheiro que não temos em jogadores que não fazem a diferença para depois vendermos alguns dos nossos (já poucos) melhores futebolistas. Eu sei que algumas das supracitadas contratações são para a equipa de Sub-23 e já dei a minha opinião sobre as qualidades que vejo em Matheus Nunes (vamos ver que oportunidades terá), mas não compreendo esta política na sua globalidade. Não havendo categoria superlativa nos jogadores adquiridos, o destino final será a criação de stocks. Entretanto, a qualidade vai definhando e neste momento restam-nos apenas Bruno Fernandes (até quando?), Acuña (apesar dos "apagões"), Mathieu (veterano) - estes três acima de todos outros - , Bas Dost (baixa de forma), Raphinha, Wendel ou Battaglia (lesionado) como jogadores de um patamar superior e com valor de mercado interessante. Ainda se isso significasse que se iria apostar nos jovens...

8 comentários

Comentar post

Mais sobre mim

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Mensagens

Arquivo

  1. 2020
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2019
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2018
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D

Castigo Máximo

De forma colocada, de paradinha, ou até mesmo à Panenka ou Cruijff, marcaremos aqui a actualidade leonina. Analiticamente ou com recurso ao humor, dentro ou fora da caixa, seremos SPORTING sempre.

Siga-nos no Facebook

Castigo Máximo

Comentários recentes

  • Pedro Azevedo

    A questão do futebol português não pode nem deve s...

  • Anónimo

    Então, e como consegue explicar que o Porto seja c...

  • Pedro Azevedo

    Meu caro, você foi eliminado por aquele conjunto d...

  • Pedro Azevedo

    Não se trata de miserabilíssimo, mas sim de realis...

  • Anónimo

    Até podia estar avaliado em 500 milhões, que eu co...