Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Castigo Máximo

De forma colocada, de paradinha, ou até mesmo à Panenka ou Cruijff, marcaremos aqui a actualidade leonina. Analiticamente ou com recurso ao humor, dentro ou fora da caixa, seremos SPORTING sempre.

De forma colocada, de paradinha, ou até mesmo à Panenka ou Cruijff, marcaremos aqui a actualidade leonina. Analiticamente ou com recurso ao humor, dentro ou fora da caixa, seremos SPORTING sempre.

Castigo Máximo

01
Mai19

Longe de Alvalade


Pedro Azevedo

Faz hoje 25 anos que morreu Ayrton Senna da Silva, o meu ídolo no automobilismo. Com o seu desaparecimento, a Fórmula 1 para mim nunca mais foi a mesma. Ainda pisquei o olho a Mansell, flirtei com Montoya e achei piada a Verstappen, mas não há amor como o primeiro, nem nenhum piloto como o brasileiro que até aos dias de hoje tenha conseguido tão bem conjugar um coração gigante, que lhe permitia colocar o seu carro em espaços improváveis, com um instinto e uma perícia únicas de condução. 

 

A minha relação com a F1 é hoje ocasional. Um alívio para os mais próximos, na medida em que o sofá à frente do televisor foi trocado por programas familiares de Domingo. Tal deveu-se à rotina (e aborrecimento) das corridas, motivada pela submissão com que os pilotos contemporâneos aceitam o poder da máquina. Muito diferente da obstinação com que Senna o desafiava. Assim foi no Mónaco, em 1984, ao volante de um modesto Toleman, quando só um esbracejante Prost condescendeu Jacky Ickx, director da corrida, a interromper o Grande Prémio mais molhado de que há memória, impedindo assim a vitória mais do que certa de um velocíssimo Ayrton que lhe ganhava 4 segundos por volta, após ultrapassar, um a um. todos os pilotos que se posicionavam à frente do seu 9º lugar inicial na grelha de partida. Também o foi no Estoril, em 86, quando deu 1 volta de avanço a todos os pilotos classificados a partir do terceiro lugar (e 1,20 minutos ao segundo colocado), mesmo que o seu carro (Lotus) estivesse longe de estar entre os melhores do pelotão.

 

Para sempre Senna!

ayrton senna.jpg

6 comentários

Comentar post

Mais sobre mim

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Mensagens

Arquivo

  1. 2024
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2023
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2022
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2021
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2020
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2019
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2018
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D

Castigo Máximo

De forma colocada, de paradinha, ou até mesmo à Panenka ou Cruijff, marcaremos aqui a actualidade leonina. Analiticamente ou com recurso ao humor, dentro ou fora da caixa, seremos SPORTING sempre.

Siga-nos no Facebook

Castigo Máximo

Comentários recentes

  • Jose

    Claro para estarmos em Antuérpia tivemos de elimin...

  • Pedro Azevedo

    Sim, poupava-se nas certidões de óbito e era desne...

  • João Gil

    As escolhas do selecionador são soberanas e isso e...

  • Pedro Azevedo

    * o que não quer dizer

  • Pedro Azevedo

    E pur si muove, como diria o Galileu. Com a melhor...