Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Castigo Máximo

De forma colocada, de paradinha, ou até mesmo à Panenka ou Cruijff, marcaremos aqui a actualidade leonina. Analiticamente ou com recurso ao humor, dentro ou fora da caixa, seremos SPORTING sempre.

De forma colocada, de paradinha, ou até mesmo à Panenka ou Cruijff, marcaremos aqui a actualidade leonina. Analiticamente ou com recurso ao humor, dentro ou fora da caixa, seremos SPORTING sempre.

Castigo Máximo

27
Mar19

Excrecências medonhas


Pedro Azevedo

"Tira a mão do queixo não penses mais nisso
O que lá vai já deu o que tinha a dar
Quem ganhou ganhou e usou-se disso
Quem perdeu há-de ter mais cartas pra dar
E enquanto alguns fazem figura
e sucumbem á batota
Chega a onde tu quiseres
Mas goza bem a tua rota
 
Enquanto houver estrada pra andar
A gente vai continuar
Enquanto houver estrada pra andar
Enquanto houver ventos e mar
A gente não vai parar
Enquanto houver ventos e mar
 
Todos nós pagamos por tudo o que usamos
O sistema é antigo e não poupa ninguém
Somos todos escravos do que precisamos
Reduz as necessidades se queres passar bem
Que a dependência é uma besta
Que dá cabo do desejo
A liberdade é uma maluca
Que sabe quanto vale um beijo" - A gente vai continuar (Jorge Palma)

 

Poderá haver quem goste deste tipo de coisas. Alguns até chamarão à colação a velha teoria de que a polémica é necessária e alimenta os seguidores do fenómeno futebolistico. Mas sejamos sérios: Vitor Catão e César Boaventura são a ponta do icebergue do estado em que mergulhou o futebol português. Sinais que parecem não incomodar as autoridades deste país, desde quem nos governa, passando pelo poder judiciário, até quem gere o nosso futebol. 

 

Só há uma forma de parar isto: os amantes do futebol fazerem boicote aos jogos, não comparecendo nos estádios e não vendo as transmissões televisivas. Se o dinheiro à volta do futebol começar a minguar, os agentes envolvidos vão sentir o solo a fugir-lhes dos pés e serão obrigados a definir regras, cumpri-las e regenerarem-se. A alternativa é continuarmos a fingir que nada se passa, à espera de umas quantas vitórias à Pirro, o que nos tornará cúmplices de toda a situação. A dependência é uma besta, como diria o Jorge Palma, mas se esta é a "droga" que nos servem, então eu prefiro a "metadona" das modalidades ou a "ressaca" de uma cura de desintoxicação. 

 

6 comentários

Comentar post

Mais sobre mim

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Mensagens

Arquivo

  1. 2020
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2019
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2018
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D

Castigo Máximo

De forma colocada, de paradinha, ou até mesmo à Panenka ou Cruijff, marcaremos aqui a actualidade leonina. Analiticamente ou com recurso ao humor, dentro ou fora da caixa, seremos SPORTING sempre.

Siga-nos no Facebook

Castigo Máximo

Comentários recentes

  • Pedro Azevedo

    A questão do futebol português não pode nem deve s...

  • Anónimo

    Então, e como consegue explicar que o Porto seja c...

  • Pedro Azevedo

    Meu caro, você foi eliminado por aquele conjunto d...

  • Pedro Azevedo

    Não se trata de miserabilíssimo, mas sim de realis...

  • Anónimo

    Até podia estar avaliado em 500 milhões, que eu co...