Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Castigo Máximo

De forma colocada, de paradinha, ou até mesmo à Panenka ou Cruijff, marcaremos aqui a actualidade leonina. Analiticamente ou com recurso ao humor, dentro ou fora da caixa, seremos SPORTING sempre.

De forma colocada, de paradinha, ou até mesmo à Panenka ou Cruijff, marcaremos aqui a actualidade leonina. Analiticamente ou com recurso ao humor, dentro ou fora da caixa, seremos SPORTING sempre.

Castigo Máximo

11
Out20

Divisionismos e incongruências


Pedro Azevedo

"Na luta entre o bem e o mal, é sempre o povo que morre." - Eduardo Galeano

 

"O jornalista Henrique Monteiro defende um órgão de consulta da Direção eleito também proporcionalmente (espécie de senado, mas não com a composição e competências do Conselho Leonino), para onde transitassem diversas competências da AG — como a aprovação de contas. No seu entendimento, tal seria mais democrático e mais claro." - in Leonino

 

Após uma semana de trégua entre os adeptos motivada por uma vitória com esperançosa exibição em Portimão, dos escombros de um maniqueísmo infelizmente instalado em Alvalade emergiu Henrique Monteiro com a peregrina ideia de substituição dos sócios por uns seus representantes denominados de senadores. Para quem não saiba, Henrique Monteiro é um jornalista. Ora, de um jornalista espera-se que procure a notícia, transmita-a, comente-a até desde que em coluna própria de opinião. Tudo isso faz sentido. O que talvez faça pouco sentido é um jornalista pôr-se constantemente em bicos de pés para ser a notícia. Bom, dir-se-á que o faz na condição exclusiva de associado do clube e como tal tem todo o direito de intervir no dia-a-dia do clube com as suas ideias. Assumamos então como boa essa premissa e concentremo-nos apenas na bondade (ou não) da sua proposta. Segundo Winston Churchill, a democracia é a pior forma de governo, salvo todas as demais que têm sido experimentadas de tempos em tempos. Quer isto dizer que a democracia não é perfeita, mas permite a cada cidadão (sócio, para o efeito) exprimir a sua opinião através do voto. O que nos leva à questão se todos os cidadãos estarão devidamente informados na hora de votar. A resposta é óbvia: não estão. Um exemplo claro disso é o próprio Henrique Monteiro, o qual confunde elementarmente orgãos consultivos com deliberativos e/ou esquece-se que não cabe em nenhuma circunstância ao poder executivo deliberar em matéria de exclusiva competência de sócios (ou associados), algo que qualquer pessoa minimamente experiente em gestão lhe poderia ter soprado. Quer isto dizer que o sócio Henrique Monteiro deveria ser impedido de votar? Não, obviamente, o caminho nunca poderá passar pela supressão desse ou de qualquer tipo de eleitor. Não, o caminho passa por formar e informar correctamente as pessoas e levá-las a tomar consciência própria e abalizada sobre os temas, tornando assim incompatível o aproveitamento do desconhecimento dos cidadãos, na medida em que estes deixariam de ser facilmente permeáveis a campanhas de desinformação instruídas seja por que parte for. Algo que aliás deveria encontrar particular sensibilidade de quem começou por escrever em a Voz do Povo. Estamos entendidos, "Comendador Marques de Correia"? É que a democracia não é algo que se ponha na gaveta quando não nos dá jeito.

 

P.S. Serei sempre contra o maniqueísmo ou simplista divisão do mundo entre o bem e o mal, da mesma forma que não suporto manifestações niilistas onde vale tudo, desaparece a ordem e não se obedece a nada nem a ninguém. Por isso, urge criarem-se espaços onde todos possamos comunicar sem agressões verbais ou processos de intenção, em que impere a ponderação dos moderados e progressivamente se traga para o centro de discussão os ortodoxos e os radicais. Radicalismo gera radicalismo, e isso não colhe a ninguém de bom senso nem a nenhuma instituição. Nada contra as críticas ao trabalho da direcção, especialmente se forem construtivas e dirigidas para as ameaças à nossa sustentabilidade, mas peço a todos os que como eu têm uma apreciação negativa do mandato de Varandas para não a confundirem com o Sporting que de facto é relevante, aquele que vai a campo e é a razão de toda a nossa paixão e envolvimento com o clube. Não se esqueçam nunca que decisões tomadas em tenra idade não obedecem a interesses, e nunca traiam a integridade daquilo que um dia Vos fez ser Sportinguistas e o desejo de ver sempre o clube a ganhar. 

11 comentários

Comentar post

Mais sobre mim

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Mensagens

Arquivo

  1. 2020
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2019
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2018
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D

Castigo Máximo

De forma colocada, de paradinha, ou até mesmo à Panenka ou Cruijff, marcaremos aqui a actualidade leonina. Analiticamente ou com recurso ao humor, dentro ou fora da caixa, seremos SPORTING sempre.

Siga-nos no Facebook

Castigo Máximo

Comentários recentes