Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Castigo Máximo

De forma colocada, de paradinha, ou até mesmo à Panenka ou Cruijff, marcaremos aqui a actualidade leonina. Analiticamente ou com recurso ao humor, dentro ou fora da caixa, seremos SPORTING sempre.

De forma colocada, de paradinha, ou até mesmo à Panenka ou Cruijff, marcaremos aqui a actualidade leonina. Analiticamente ou com recurso ao humor, dentro ou fora da caixa, seremos SPORTING sempre.

Castigo Máximo

20
Jan19

Cuidado com as comparações(2)


Pedro Azevedo

Muito se tem falado da peseirização do futebol de Keizer e a verdade é que nalguns jogos Keizer esteve longe de ser Keizer, mas confundir a entrada nos últimos minutos de Petrovic - e concomitante adopção do duplo-pivot - com uma táctica de raíz que partia do duplo-pivot e, por vezes, evoluia (com muito tempo para jogar) para um trivote parece-me um absurdo.

Em simultâneo, existem outros críticos que censuram Keizer pelo seu futebol iminentemente ofensivo (em que ficamos?) e falta de compensação defensiva, situações apresentadas como causas para o nosso afastamento do título. Segundo esta teoria, Peseiro só estava a dois pontos do líder quando foi afastado e a sua substituição foi um erro.

Tendo ontem Keizer cumprido o seu 14º jogo ao leme da equipa principal do Sporting, exactamente o mesmo número de jogos em que Peseiro foi o timoneiro, já é possível estabelecer uma comparação fidedigna. E a verdade é que os números são arrasadoramente favoráveis a Keizer. Ora vejamos: Peseiro venceu 9 jogos (64,3%), empatou 1 (7,1%) e perdeu 4 (28,6%); Keizer triunfou em 11 jogos (78,6%), igualou 1 (7,1%) e foi derrotado em 2 (14,3%). O coruchense efectuou 8 partidas para a Liga, uma para a Taça de Portugal, duas para a Taça da Liga e 3 para a Liga Europa, o holandês jogou igual número de partidas para a Liga, 3 para a Taça de Portugal, uma para a Taça da Liga e duas para a Liga Europa. Registe-se que a contar para a Liga ambos ganharam 5 vezes, empataram uma e perderam duas. Analisando os golos obtidos e sofridos não deixamos de nos surpreender: a corrente realista que tanto elogiou a apreguada contenção defensiva de Peseiro não pode deixar de ignorar que nesses 14 jogos o treinador português só consentiu menos um golo que o holandês (14 contra 15), o qual é criticado pelo excessivo balanceamento atacante e falhas no processo de transição defensiva; já os números atacantes de Keizer falam por si próprios e envolvem uns esmagadores 41 golos marcados, contra apenas 24 de Peseiro, indicador que dá argumentos suficientes aos defensores de uma corrente, vamos lá, romântica de ver o jogo.

Em abono da verdade, talvez a verdade esteja no meio, como aliás muitas vezes acontece. Essencialmente, não me parece que a tentativa de procurar um equilíbrio entre as acções ofensivas e defensivas, por parte de Keizer, esteja a ser particularmente bem sucedida. Se analisarmos os seus sete primeiros jogos, o holandês fez o pleno de vitórias e a equipa marcou 30 golos e consentiu 8. Nos últimos sete, Keizer venceu 4, empatou 1 e perdeu duas vezes, marcando 11 golos e sofrendo 6. Poucas melhorias defensivas para tão flagrante perda de explosão ofensiva, e a sensação de que só nos 2 jogos com o Feirense a equipa foi leal o tempo todo à filosofia inicial de Keizer. Por tudo isto, mais do que compararmos Keizer com Peseiro, devemos é comparar os dois ciclos do treinador holandês e perceber o que mudou, no sentido de aferirmos se não valerá a pena uma nova inflexão que privilegie o futebol posicional que tão bons resultados nos trouxe inicialmente. Essa, para mim, é uma das discussões possíveis, a outra é sobre a controversa utilização de jogadores como Bruno Gaspar ou Diaby, súbita exclusão de Jovane e Miguel Luís ou falta de oportunidades de Luíz Phellype, tentando perceber se os que estão em melhor forma estão a ir (ou não) a jogo. 

keizer5.png

peseiro.jpg

3 comentários

Comentar post

Mais sobre mim

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Mensagens

Arquivo

  1. 2020
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2019
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2018
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D

Castigo Máximo

De forma colocada, de paradinha, ou até mesmo à Panenka ou Cruijff, marcaremos aqui a actualidade leonina. Analiticamente ou com recurso ao humor, dentro ou fora da caixa, seremos SPORTING sempre.

Siga-nos no Facebook

Castigo Máximo

Comentários recentes

  • Anónimo

    Não sei se me expressei correctamente no meu comen...

  • AJSSB

    114 AnosSempre fomos Muitos, sempre o iremos ser. ...

  • Pedro Azevedo

    Caro Sebastião, eu não tenho responsabilidades no ...

  • Anónimo

    Boa tarde, Pedro.Atendendo a que o Chico Geraldes ...

  • Pedro Azevedo

    Parabéns Sporting!