Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Castigo Máximo

De forma colocada, de paradinha, ou até mesmo à Panenka ou Cruijff, marcaremos aqui a actualidade leonina. Analiticamente ou com recurso ao humor, dentro ou fora da caixa, seremos SPORTING sempre.

De forma colocada, de paradinha, ou até mesmo à Panenka ou Cruijff, marcaremos aqui a actualidade leonina. Analiticamente ou com recurso ao humor, dentro ou fora da caixa, seremos SPORTING sempre.

Castigo Máximo

19
Fev19

Apologia da cacetada


Pedro Azevedo

A minha mulher chamou-me hoje à atenção para a blague que Ricardo Araújo Pereira fez sobre aquele cárcere em que os reclusos promovem festas e não fogem e os guardas prisionais estão de baixa ou não comparecem ao serviço. Ao ver aquilo, de alguma maneira comecei a imaginar o ambiente do futebol português dentro das quatro linhas. Nele habitam caceteiros profissionais, cujo entendimento de marcação à zona é qual a zona do corpo do adversário onde é para deixar marca. Neste status-quo, o infractor vive num oásis  e o ofendido, mesmo com um galo na cabeça, vai para a rua. Ou então não, desde que aceite levar umas cotoveladas e dê a outra face, ou que encaixe uns pisões nos tornozelos, que isto de ser um Aquiles é coisa para meninos. 

 

Não admira por isso que os jogadores com um mínimo de talento se vão embora. Não, não é por uma questão de dinheiro que eles fogem para a Roménia, o Chipre ou a Grécia, mas sim para conseguirem acabar a carreira com a cabeça, o tronco e as pernas...perdão, com a cabeça, membros e pernas...ora bolas (!!), com a cabeça, tronco e membros intactos e bem preservados. E também para evitarem o Hélder Malheiro, o Manuel Mota (por coincidência, carniceiro de profissão) ou o Jorge Sousa. Nesse particular, é uma pena que um indivíduo com um ouvido tão sensível como o senhor Malheiro não possa arbitrar jogos do senhor Jorge Sousa. Caso contrário, imaginaria um diálogo deste tipo; "Ó Jorge, ouve lá, que coisa é essa do artesanato das Caldas que estás para aí a gritar ao Stojkovic? Vais já para a rua, meu menino". 

 

Se as coisas continuarem assim, vou recomendar que em Alvalade se substituam a aprendizagem das regras de jogo e a prelecção táctica pela leitura da Bíblia. É que nos últimos 4 jogos que disputámos para a Liga, em 3 houve adversários que ficaram indevidamente em campo. Já um dos nossos (ofendidos), porque se insurgiu, foi logo tomar banho mais cedo. Os outros, Bruno e Acuña, com fama de refilões, aguentaram estoicamente. Por isso, mais do que o prémio de homem do jogo, mereciam a beatificação. Afinal, são uns Bons Samaritanos.

 

Mais sobre mim

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Mensagens

Arquivo

  1. 2020
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2019
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2018
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D

Castigo Máximo

De forma colocada, de paradinha, ou até mesmo à Panenka ou Cruijff, marcaremos aqui a actualidade leonina. Analiticamente ou com recurso ao humor, dentro ou fora da caixa, seremos SPORTING sempre.

Siga-nos no Facebook

Castigo Máximo

Comentários recentes