Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Castigo Máximo

De forma colocada, de paradinha, ou até mesmo à Panenka ou Cruijff, marcaremos aqui a actualidade leonina. Analiticamente ou com recurso ao humor, dentro ou fora da caixa, seremos SPORTING sempre.

De forma colocada, de paradinha, ou até mesmo à Panenka ou Cruijff, marcaremos aqui a actualidade leonina. Analiticamente ou com recurso ao humor, dentro ou fora da caixa, seremos SPORTING sempre.

Castigo Máximo

16
Dez19

Alcochete nunca, Sporting sempre!


Pedro Azevedo

O Sportinguismo está doente. A última evidência surgiu nos Açores, onde a comitiva do Sporting foi recebida com gritos de "Alcochete sempre!". De facto, algo vai muito mal no reino do leão quando um grupo de manifestantes se reune para fazer a apologia de um ataque às instalações do clube e seus atletas, um crime que provocou danos morais, reputacionais e financeiros ao clube de José Alvalade. Este tipo de acontecimentos, que deve ser repudiado convictamente por todas as sensibilidades existentes no Sporting, é reflexo de uma sociedade em perda acentuada de valores, mas também é sintomático do estado da Cultura Sporting (e sua identidade), incapaz de filtrar tudo aquilo que vem de fora. Todos, mas rigorosamente todos, precisamos de parar para pensar, sob pena de, não o fazendo, se instalar a mais completa anarquia e o clube se tornar irrecuperável. (A propósito, o que fez a Polícia perante palavras de ordem que incitam à violência física?)

 

O clube está à deriva e falta um faról que evite o naufrágio que se pressente iminente. O presidente, que deveria ser a referência para todos os sócios e adeptos, também tem contribuído para um clima belicista ao dirigir-se a sócios moderados que o contestam com epítetos como "esqueletos", "patetas", "papagaios" ou "idiotas úteis", falhando assim até em unir à sua volta aqueles (onde está a reacção dos mais recentes candidatos a eleições no Sporting?) que mais facilmente repudiariam actos como os vistos esta noite em São Miguel. Mesmo aquando dessas infelizes declarações recebeu palmas da audiência presente na entrega dos prémios Rugido de Leão, algo similar ao experenciado quando Bruno Carvalho nomeou os "sportingados", o que mostra bem como os proselitismos muitas vezes se sobrepõem ao Sporting e, simultaneamente, o estado de desnorte da nação leonina.

 

O erro de Varandas tem sido atirar-se a quem o critica justificadamente, procurando colá-los ao extremismo para melhor surfar a onda da vitimização tão comum à pequena política. O núcleo duro do Sportinguismo é formado por sócios moderados, que são um "swinging vote" e decidem eleições. Atacá-los por motivos estratégicos e oportunistas de curto-prazo acabará por esvaziar de todo a capacidade de reacção que seria necessária para conter com eficácia quem não respeita princípios elementares de vivência em sociedade.

 

O Sporting está hoje perdido num mar de equívocos. Existem radicalismos associados a proselitismos de diversa ordem que geram maniqueísmo e sente-se uma incapacidade total de avançar própria do niilismo que se apoderou do clube. O presidente tem uma dificuldade flagrante de comunicação e isso torna-se ainda mais gritante perante a situação em que o Sporting actualmente vive, a qual recomendaria uma liderança forte e congregadora, educativa, doutrinária e que fosse portadora de uma visão capaz de inspirar e apontar a porto seguro. Mais do que preservar o seu mandato, o Sporting precisa que Varandas preserve o Sporting e o Sportinguismo, o que aliás deverá ser a missão de cada sócio. E isso não pode ser feito atacando todos ao mesmo tempo, misturando opinião critica com arruaça, inquietação legítima com transgressão, convivendo mal com a democracia e assim afastando indiscriminadamente as pessoas do clube, sob pena de na hora "H" ficar sozinho perante o próprio radicalismo que ajudou a fomentar (que não a criar). 

 

O momento do futebol também não pode ser dissociado do actual clima. Pedem-se menos erros e arrogância, mais acerto e boas práticas. A soberba precede a ruína, assim como a altivez precede a queda, diz a Bíblia. Palavras sábias que Varandas não deverá ignorar. É que o exemplo vem sempre de cima, e só com humildade, alma, amor à causa e respeito entre todos se reerguerá o grande Sporting. 

 

P.S. Há muito tempo que venho aqui perorando sobre a Cultura Sporting. Espero que finalmente todos compreendam a razão pela qual a considero um pilar fundamental, tal como a as questões da sustentabilidade e dos princípios de governação, num Sporting de sucesso. 

11 comentários

Comentar post

Mais sobre mim

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Mensagens

Arquivo

  1. 2020
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2019
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2018
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D

Castigo Máximo

De forma colocada, de paradinha, ou até mesmo à Panenka ou Cruijff, marcaremos aqui a actualidade leonina. Analiticamente ou com recurso ao humor, dentro ou fora da caixa, seremos SPORTING sempre.

Siga-nos no Facebook

Castigo Máximo

Comentários recentes