Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Castigo Máximo

De forma colocada, de paradinha, ou até mesmo à Panenka ou Cruijff, marcaremos aqui a actualidade leonina. Analiticamente ou com recurso ao humor, dentro ou fora da caixa, seremos SPORTING sempre.

De forma colocada, de paradinha, ou até mesmo à Panenka ou Cruijff, marcaremos aqui a actualidade leonina. Analiticamente ou com recurso ao humor, dentro ou fora da caixa, seremos SPORTING sempre.

Castigo Máximo

23
Jan19

Oportunidade aos mais jovens


Pedro Azevedo

Hoje, na Pedreira, gostaria que se testassem outras soluções. Por isso, recomendaria que jogassem de início os jovens Francisco Geraldes (ou Miguel Luís), Jovane Cabral e Raphinha (para além de Phellype e de Salin, este último face à rotatividade nas taças). A minha equipa seria: Salin; Ristovski, Coates, Mathieu e Acuña; Gudelj (Idrissa Doumbia, Petrovic), Bruno Fernandes e Xico Geraldes (Miguel Luís); Raphinha, Luíz Phellype e Jovane Cabral. Descansariam, tendo em conta futuras batalhas: Renan, Wendel (um jovem desgastado pelo excesso de jogos), Nani, Diaby e Bas Dost.

geraldes1.jpg

22
Jan19

Abel adormecido (e a laranja mecânica)


Pedro Azevedo

E se, amanhã, Abel encontrar uma laranja no seu caminho, não resistir a tentar descascá-la e acabar adormecido pelo sumarento fluido venenoso preparado por Keizer? Sim, bem sei, a maçã...Bom, a maçã é uma estória para meninos, e Abel é tudo menos um menino (de coro). Pelo menos sempre que tem o Sporting pela frente, pois quando é o Benfica já não é bem assim, aparentemente, e até sorri e tudo. 

Para ganhar amanhã, o Sporting tem de ser uma laranja mecânica e, de forma a poder extrair todo o sumo possível, saber aproveitar as lições da mecânica de fluidos. A primeira coisa a fazer é jogar em campo pequeno (aproximar as linhas). A Teoria de Bernoulli aplicada a um jogo de futebol. Estreitando o campo, a pressão sobre a equipa do Braga será maior (aumenta o erro). Aplicada uma forte tensão nos bracarenses, a deformação do seu jogo ser-lhe-á proporcional (Teoria dos fluidos Newtonianos). Depois, será necessário aplicar velocidade. Como tal, proponho algumas alterações na equipa que vai a jogo, de forma a melhor acomodar a ideia inicial (ao mesmo tempo que pouparia alguns titulares para outras batalhas). Assim, para além da habitual substituição nas Taças, de Renan por Salin - o melhor jogo de pés do francês aumenta a velocidade de circulação de bola - daria uma oportunidade no sector recuado ao supersónico Lumor (importante para dobrar centrais posicionados perto da linha do meio-campo, deixando assim muito espaço nas costas). No meio campo, manteria Bruno Fernandes e Gudelj (não estando ainda em condições o Doumbia) e lançaria Francisco Geraldes como "10" (com Bruno de perfil por detrás), de forma a podermos ter dois "registas", dois lançadores de passes de ruptura para as alas e frente do ataque. Como "cereja no topo do bolo", revolucionaria a linha dianteira, fazendo entrar os velozes Jovane (esquerda) e Raphinha (direita), bem como o "Felipe das consoantes", o nosso recém-chegado ponta-de-lança Luíz Phellype. O que Vos parece?

abel.jpg

(Fonte Imagem: Rogério Ferreira/KAPTA+)

29
Dez18

Tudo ao molho e fé em Deus - Póquer na Feira


Pedro Azevedo

Um Raphinha com um PH ácido começou logo a espalhar azia nuns fogaceiros sem Kompensan. Aos 4 minutos, numa brilhante jogada individual, o brasileiro adiantou o Sporting no marcador. Logo de seguida, Bas Dost foi decisivo atrás(!), salvando um golo certo do Feirense, após um momento bastante insonso de Salin, hoje com alguns momentos "Calamity James" (inicialmente dedicado ao antigo guardião da selecção inglesa, David James, famoso pelos seus falhanços comprometedores). Os papéis continuaram a inverter-se quando Coates fez de assistente para um golo de se levantar o chapéu de Bruno Fernandes. Com dois golos de vantagem parecia que o jogo estava decidido, mas Petrovic fez de elefante numa loja de porcelana e partiu a loiça toda. O árbitro sancionou os estragos causados aos da Feira e condenou os leões a um castigo máximo. Na conversão, Tiago Silva voltou a colocar o Feirense na partida, não permitindo a Salin colar os cacos. Até ao intervalo, Ruben Brígido foi aguentando o resultado, nomeadamente quando defendeu miraculosamente uma cabeçada cheia de malícia de Bruno Fernandes. O árbitro Rui Costa também contribuiu, fechando os olhos a uma falta cometida (expulsão óbvia) sobre Acuña que teve muito que se Diga. 

 

No segundo tempo, o Feirense podia ter empatado, mas Mathieu conseguiu evitar um lance de três para um na área leonina. Não marcaram os fogaceiros, fizeram-nos os leões após mais uma falta cometida por Philipe Sampaio, desta vez na sua área. Na conversão do "penalty" (59 minutos), o inevitável Bas dostou como de costume. Sete minutos depois, uma combinação entre Diaby e Miguel Luís deixou o médio da nossa Formação isolado perante o guarda-redes. O remate saiu prensado num defesa e acabou deflectido por um defensor feirense para a sua própria deserta baliza (4-1). Com larga vantagem no marcador, Acuña e Diga voltaram a encontrar-se, com o argentino desta vez a sair por cima após um bíblico (Êxodo 21:24) "olho por olho, dente por dente", consubstanciado num profano "Diga lá outra vez? Espera aí que já te afinfo uma cotovelada na boca...". Consta que Santa Maria (da Feira) terá fechado os olhos...

Até ao fim do jogo o Sporting foi costurando uma Man(i)ta muito comprida para os de Santa Maria da Feira, mas Diaby, o poste e Ruben Brígido evitaram a mão-cheia de golos. Aliás, o maliano foi especialmente perdulário, primeiro dominando mal a bola na área e desperdiçando a oportunidade, depois permitindo a defesa do guardião adversário, finalmente atirando por cima com a baliza escancarada, após excelente remate de Jovane Cabral (substituiu Raphinha) ao ferro. Caso suficiente para ficar toda a noite a praticar na barraquinha dos tiros lá da Feira...

Destaque ainda para uma oportunidade criada por Petrovic (grande defesa de Brígido) e para outra falhada por Bas Dost. De referir, também, a expulsão de Tiago Silva (palavras).

 

Tenor "Tudo ao molho...": Bruno Fernandes (muito bem a pautar o jogo, excelente no golo e irrepreensível como capitão, evitando o exaltamento de Raphinha e acalmando até Tiago Silva no momento da sua expulsão) 

taçadaligafeirensesporting.jpg

Mais sobre mim

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Mensagens

Arquivo

  1. 2022
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2021
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2020
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2019
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2018
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D

Castigo Máximo

De forma colocada, de paradinha, ou até mesmo à Panenka ou Cruijff, marcaremos aqui a actualidade leonina. Analiticamente ou com recurso ao humor, dentro ou fora da caixa, seremos SPORTING sempre.

Siga-nos no Facebook

Castigo Máximo

Comentários recentes

  • josé

    Caro Pedroeu cá depois do pornográfico A.O. (quer ...

  • Pedro Azevedo

    Queira desculpar o corrector “inteligente” do meu ...

  • Pedro Azevedo

    Comentário espirituoso, brilhante até na minha mod...

  • josé

    o problema resulta de que ao acordar pensa que já ...

  • Pedro Azevedo

    E depois há um aspecto adicional a referir quando ...